Início Site

O marinheiro

  Chegava pela alameda que era unida a praia mais comum.Batia um vontade de ter o poder de não se sentir sozinho.As pernas estremeciam com...

Jujuba e Marciel

  Os cabelos dela eram pintados de verde... estatura baixa e tímida ao ponto de mal conversar com pessoas como seus professores de Inglês. Muito...

Ode a procrastinaçaõ

  Ocorreu-me que de-repente detestara meu próprio nome; e a insônia me corroía os dentes; enquanto faltava-me opções de fuga. Debaixo do meu nariz estavam...

Doxa e cultura Kitsh

  Não tive tempo de pensar nos reflexos, nos traços, nos contornos de acesso figurado. O quadro imperativo da sala de artes não me causou...

Sobre a reforma política: ante o ano 2.000

  Comentada a fios, de norte a sul a reforma se confunde e engessa com distorções a opinião pública isto é, deixa cada vez mais...

Ladeira Iluminada

  Não, eu não sou o melhor autor que você encontra agora neste momento de leitura. Eu não tenho aquele gosto de censura que traz...

Auge do deserto

  Às vezes perder é o significado mais claro de ganhar. É técnica divina qual  tatuagem não sabe calcular. Calor que sucumbe a vontade...

Desenho de um mundo

  Clara tece o minuto com arte manuscrito. Cítara toca o noturno esculpido intacto. Beijos norteiam a mesma estúpida que rejeita. Só espero do beijo...

Amor necessário ?

  É prazeroso ganhar mais dinheiro sendo um leproso sagaz que defende o ébrio Que substancia faz uso aquele discursa? Será o individuo que governa a palavrões que prova...

Rochedo

    Eu gosto de beber metáforas Faz tempo que soluço reticencias Sou protagonista da ansiedade De um jogo empilhado em testamento   E se ate o momento em falso calço...

SOBRE MIM

Luiz Renato Vicente é acadêmico de Filosofia da UEM (Universidade Estadual de Maringá). Vencedor de duas Edições do Prêmio Melhor Leitor do Ano pela Rotary Club Internacional e Semuc. 2017 ( 2º lugar) e 2019 ( 1º lugar) na categoria adulto. Autor do Livro Desamparo ( Micro-Contos) Pela Editora AR Publisher Editora.