Eu rodo sim! canta a boa nova da cidade a Banda Motores Ácidos. Com um som de arrepiar – um Rock and Roll da pesada os caras chegam tomando conta do cenário. No âmago do estilo fazem uma variante que vai do Rock clássico ao Blues marcante.

E como não ser diferente de todas as ressurreições de bandas a Motores investem em uma levada autoral. Mas nem sempre é fácil ser aceito no mercado musical- Isso porque as gravadoras não só recebem muito material de qualidade quanto não dispõe de tempo para dar atenção a tudo que chega em suas seções de avaliação artísticas.

Mas a Motores tem um tom especial. Solos limpos e pesados dão uma roupagem a diversidade de gêneros que a banda toca nos seus dois albuns “Carburado” e Trocando Óleo “. E quando falo em variedade de gêneros, quero dizer sobre a profundidade do Rock, ora pesado – ora sucinto.

Um som para se escutar sobre duas rodas – O nome já diz e muito, sobre o nome e ao que veio. Na bagagem centenas de bares e moto clubes fazem nicho com as apresentações da Motores – Bebidas e viagens são temas constantes nas letras dos caras.

A banda passou por várias formações. No momento quem faz parte do conjunto são.: Diego Brambila ( Baixo e Vocal) – Rodrigo Chassy ( Guitarra ) e Atamir Granado ( Bateria).

Bandas do tipo Motorhead e ZZTop e Made in Brazil, influenciam a artilharia dessa banda icônica. Eles são sucesso nas web rádios do País – nomundorock.com – Radio Kiss fm etc.

Vida Bandida, Blues do inferno – São  algumas do repertório severo do primeiro álbum. Ao meu ver, Motores Ácidos é mais que Adrenalina, é gasolina pura (explosiva).

 

 

 

 

Luiz Renato Vicente é acadêmico de Filosofia da UEM (Universidade Estadual de Maringá). Vencedor de duas Edições do Prêmio Melhor Leitor do Ano pela Rotary Club Internacional e Semuc. 2017 ( 2º lugar) e 2019 ( 1º lugar) na categoria adulto. Autor do Livro Desamparo ( Micro-Contos) Pela AR Publisher Editora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here