No sétimo dia de isolamento, passa de 30 as empresas autuadas. Teve buzinaço em Maringá. Veja vídeo

Por: - 26 de março de 2020
Buzinaço em Maringá / Reprodução Redes Sociais

No sétimo dia do isolamento social imposto por decreto municipal em Maringá, chega a 33 o número de comércios e prestadores de serviços autuados pelo descumprimento das medidas restritivas de funcionamento. Nesta quinta-feira (26/3), também teve buzinaço em Maringá para cobrar a reabertura das empresas.

A publicação do decreto, segundo a prefeitura, foi necessária para evitar uma possível epidemia do novo coronavírus na cidade. Em Maringá, a situação de emergência foi decretada no mesmo dia em que foi confirmado o primeiro caso do Covid-19 na cidade.

Apenas comércios essenciais como farmácias, mercados, postos de combustíveis e distribuidoras de água e gás receberam autorização para funcionar durante o decreto.

Entrega de alimentos delivery, por se enquadrar no quesito alimentação, também entra nos serviços essenciais, mas os estabelecimentos devem manter as portas fechadas ao público.

Desde quando foi decretada a situação de emergência em Maringá (20/3), a prefeitura já recebeu 7.659 denúncias no 156. No total, foram realizadas 1.053 vistorias pela equipe da prefeitura. Durante o trabalho de fiscalização, 150 empresas e prestadores de serviços foram notificados e 33 autuados.

Ao redor do mundo, outros países afetados com o coronavírus estudam prolongar a quarentena. Itália e Londres estenderam as medidas de restrição, enquanto a França estuda prorrogar as medidas que ainda estão em vigor no país.

O isolamento social é uma medida amplamente defendida pela Organização Mundial da Saúde. Em Maringá e região, a medida continua a ser amplamente defendida pelas autoridades.

Em uma nota assinada pelo presidente da Amusep e prefeito de Mandaguari, Romualdo Batista, é feito o pedido para que as pessoas permaneçam em casa e mantenham o isolamento social.

“É com o respaldo das recomendações dos especialistas da região da Amusep, ratificada pela principal entidade de infectologia do Brasil, que solicitamos à população da nossa região, que permaneça em isolamento e saiam de suas residências, em casos, extremamente, necessários“, pediu a associação em nota.

Por meio de uma rede social, o prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), respondeu que não deve voltar atrás nas medidas implantadas por ele. “Sigo com a convicção de que as medidas que implementamos são corretas e vão nos ajudar no combate ao coronavírus”, escreveu.

Em outra postagem, Maia afirmou que as decisões foram tomadas com embasamento técnico. “Nós seguimos o que deu certo no mundo: o isolamento social. A principal medida para preservar vidas”, publicou.

Em boletim divulgado na noite de quarta-feira (25/3) foi divulgada a confirmação do quinto caso de coronavírus em Maringá. Também se tornou pública a notícia de que uma mulher morreu com a suspeita da doença no Hospital Metropolitano de Sarandi. Um trabalho de desinfecção de espaços públicos começa a ser feito na noite desta quinta-feira.

Na tarde desta quinta-feira (26/3), preocupados com a crise financeira que também vai ser provocada pelo coronavírus, vários empresários fizeram um buzinaço em Maringá.

A concentração ocorreu no estacionamento do Estádio Willie Davids. Depois, o protesto seguiu para o Paço Municipal. A principal reivindicação é a reabertura das empresas. O decreto municipal de isolamento em Maringá vale por 30 dias.

 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.