Conseg critica transferência de presos de outras comarcas a celas modulares

O Conselho de Segurança de Maringá (Conseg) divulgou nota com críticas a transferência de presos de outras comarcas para as dez celas modulares instaladas na Casa de Custódia de Maringá (CCM), o que ampliou a capacidade do presídio em 120 vagas.

Do total de vagas, 90 passaram a receber detentos da 9ª Subdivisão Policial de Maringá. A crítica do Conseg é com as outras 30 vagas, que vão receber presos de outras comarcas, o que inclui as cadeias de Paranavaí e Sarandi.

“Isso é um absurdo e um desrespeito com os maringaenses. Essa transferência de presos de outras cidades desrespeita uma resolução estadual. A CCM foi construída para ser uma cadeia pública de Maringá e devido a essa condição, não tem que receber presos de outras cidades, afinal não é a destinação dela”, afirmou o presidente do Conseg, Antonio Tadeu Rodrigues.

A resolução da Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná mencionada pelo Conseg é a de n. 166/2014, que diz que “a Casa de Custódia de Maringá fica destinada, com exclusividade, aos presos da Comarca de Maringá” (art. 9º, II)”.

 

Últimas vagas de Empregos