Servidores municipais de Maringá querem 10% de aumento no salário e 60% no vale-alimentação

Por: - 16 de fevereiro de 2019
Primeira assembleia dos servidores aprova pedido de 10% de aumento / Valter Baptistoni

Os servidores municipais de Maringá aprovaram em assembleia realizada neste sábado (16/2), no plenário da Câmara Municipal, um pedido de reajuste de 10% nos salários e o pagamento de R$ 500 pelo vale-alimentação. Atualmente, o vale é de R$ 312,50, com contrapartida de R$ 62,50.

Para o Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), o reajuste de 10% no salário inclui a reposição da inflação dos últimos doze meses, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), de 3,43%, mais o ganho real.

Desde janeiro, o Sismmar tem feito campanha junto a categoria e tem mostrado aos servidores a perda no poder de compra que o reajuste com base na inflação traria.

Alguns exemplos usados como argumento pela diretoria do Sismmar são a “farinha de trigo (+19,8%), o gás de cozinha (+15,8%), o leite longa vida (+15,2%), os combustíveis (+11,6% na média de gasolina, etanol e diesel), o frango inteiro (+10,8%) e as frutas (+10,2%, na média)”, informou.

O pedido de reajuste no vale-alimentação chega a 60% e a categoria também pede a concessão do benefício para servidores municipais aposentados e em casos de licença-maternidade e licença-prêmio.

Nesta segunda-feira (18/2), a diretoria do Sismmar e uma comissão de negociação, composta pela servidora Maria Helena da Silva (Saúde) e pelos servidores Matheus Luz (Seduc), José dos Reis Torres (Aposentado), Moisés Rebouças Santos (Sege), Valdir Peters (Sasc) e Adelson Rosa de Campos (Semusp), vai protocolar o ofício com as reivindicações no Paço Municipal.

A expectativa é conseguir um posicionamento da Prefeitura de Maringá nos próximos dias. Uma nova assembleia vai ser realizada na quarta-feira (27/2). A data base dos servidores é no mês de março.

O Sismmar também incluiu itens de pautas consideradas pendentes para serem discutidas durante o período de negociações. Há duas questões consideradas mais polêmicas, que são a revogação das terceirizações feitas pela prefeitura e a revogação da lei que autoriza a instalação de câmeras em salas de aula.

Pautas pendentes apresentadas pelo Sismmar

  • Estatuto da Guarda Municipal;
  • Regime Contratual Único;
  • Jornada de 30 horas da Saúde;
  • PCCR Geral;
  • PCCR do Magistério;
  • Piso ACS/ACE;
  • Pagamento da Progressão Atrasada;
  • Pagamento das perdas decorrentes do parcelamento do índice inflacionário de 2016 garantido pela Lei Complementar n° 239/98;
  • Revogação das terceirizações (compra de vagas em creches, poda, varrição e coleta seletiva);
  • Revogação da lei que dispõe sobre a instalação de câmeras nas salas de aula.

Retrospecto de reajustes na gestão Ulisses Maia

Em 2017, o reajuste foi baseado na inflação, de 5,13%, mas os servidores aceitaram porque houve a implementação do vale-alimentação.

Em 2018, o reajuste também teve como base a inflação, de 1,81%, embora o vale-alimentação tenha recebido um aumento mais significativo, de 25%.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.