Avenida Colombo vai ganhar dez radares fixos de velocidade e vai ter controle de avanço de sinal

Por: - 21 de janeiro de 2020
Prefeitura de Maringá pretende instalar 10 pontos de fiscalização de velocidade na avenida / Divulgação PMM

A Prefeitura de Maringá e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) firmaram convênio que prevê o compartilhamento de ações de fiscalização na Avenida Colombo, trecho urbano da BR-376.  A previsão é que em até quatro meses o município inicie a instalação de dez pontos fixos de fiscalização de velocidade, além de equipamentos de avanço de sinal.

Apesar da atuação da prefeitura, o secretário de Mobilidade Urbana, Gilberto Purpur, explica que o trecho vai continuar sob circunscrição federal, com fiscalização conjunta dos agentes da PRF.

No ano passado, a Procuradoria Geral da República (PGR) arquivou o processo de municipalização da Avenida Colombo. A diferença neste novo convênio é que ele apenas regulamenta “a divisão de responsabilidades em cima da fiscalização”, diz o secretário. 

Segundo Purpur, os boletins de acidentes continuam a ser feitos pela PRF e a manutenção do asfalto permanece sob responsabilidade da concessionária Viapar.

“As obrigações do município são a instalação dos equipamentos de fiscalização eletrônica para avanço de sinal vermelho e excesso de velocidade e a sinalização, indicando que é uma via federal fiscalizada pelo município. Os agentes de trânsito também poderão atuar em infrações de circulação e parada”, afirma. 

Para o secretário de Mobilidade Urbana, com a fiscalização da prefeitura o número de acidentes na Avenida Colombo tende a diminuir.   

“O maior benefício [do convênio] é pacificar o trânsito. Os acidentes que ocorrem na Colombo são gravíssimos e sem fiscalização a gente sabe que os motoristas abusam demais. Tendo uma via fiscalizada, a gente vai ter um trânsito mais calmo e começa a mudar também a característica de pilotagem e condução de automóveis”, analisa.  

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.