PM e Guarda Municipal dão início a Operação Eleições. Rondas vão ser feitas na madrugada para evitar “derrame” de santinhos. Saiba o que o eleitor pode ou não fazer no domingo

Por: - 5 de outubro de 2018
Lançamento da Operação Eleições da PM e da Guarda Municipal - Foto: Camila Simões

A Polícia Militar e a Guarda Municipal de Maringá apresentaram na tarde desta sexta-feira (5/10), na Praça da Catedral, o efetivo para a Operação Eleições, que este ano não inclui a proibição de consumo de bebida alcoólica. Em Maringá, 287 policiais vão trabalhar exclusivamente no pleito.

Em cada local de votação vai ter pelo menos um policial e as rondas vão ser mantidas .A Guarda Municipal vai atuar com 80 homens divididos entre 19 pontos fixos e rondas. De acordo com o comandante da GM, Osmar Machado, o trabalho vai ser focado nas escolas municipais que são locais de votação.

A Polícia Militar também vai apoiar o trânsito das urnas até os locais de votação. As urnas foram colocadas nesta sexta-feira (5/10) nos carros de uma empresa particular contratada para o transporte e, neste sábado (6/10), por volta das 6 horas, começam a ser entregues nos 126 locais de votação de Maringá.

O tenente Tiago Rodrigues Urbano explica que a PM vai atuar com mais atenção na noite de sábado e madrugada de domingo para evitar o chamado “derrame”, que é o ato de espalhar material impresso de campanha em locais públicos, como o famoso santinho. Carros com excesso de adesivos de candidatos próximos a locais de votação também vão ser fiscalizados.

Este ano, assim como em 2016, foi liberado o consumo de bebida alcoólica no dia do pleito. A preocupação é com mercearias e pequenos bares que ficam próximos aos locais de votação. O tenente Urbano orienta que o eleitor que queira fazer o consumo de bebida alcoólica durante o dia vote logo pela manhã. “Quem estiver bebendo não vai ser preso, mas pode ser retirado do local se perturbar a ordem”, alerta.

Para o juiz e diretor do Fórum Eleitoral de Maringá, Frederico Mendes Júnior, a liberação da bebida alcoólica em dias de votação é uma tendência. “Em 2016, não tivemos a proibição aqui no Paraná e tivemos pouquíssimas ocorrências relacionadas ao consumo de bebida. Acredito que este ano será tranquilo também”, afirma.

O juiz considera a atuação da Polícia Militar e Guarda Municipal essencial para garantir a tranquilidade das eleições, principalmente ao fazer a segurança dos locais de votação durante a noite de sábado. “E quanto aos que cometerem alguma irregularidade, esses vão ter que responder depois. Vale lembrar que no dia do pleito pessoas que são pegas em flagrante cometendo um crime, eleitoral ou não, podem sim ser presas”.

Quem cometer crime eleitoral vai ser encaminhado para a delegacia da Polícia Federal em Maringá. Os principais crimes eleitorais são o derrame de santinhos, a boca de urna – que é a tentativa de induzir o voto do eleitor no local de votação, reter títulos eleitorais de outras pessoas, oferecer alimentação e transporte para eleitores, além da compra de votos.

Os números da eleição em Maringá

Depois de uma reestruturação promovida pela Justiça Eleitoral em todo o Brasil, Maringá ficou com três zonas eleitorais: a 66ª, a 137ª e a 192ª. São no total 276.225 eleitores aptos a votar neste domingo, o que faz da cidade o terceiro maior colégio eleitoral do Paraná, atrás apenas de Curitiba, que tem 1.339.225 eleitores, e de Londrina, que tem 372.182.

São 934 seções distribuídas em 126 locais de votação. Uma curiosidade é que as zonas eleitorais com mais eleitores são as que têm menos seções e menos locais de votação, o que pode significar filas maiores no domingo. A 137ª é a maior, com 92.457 eleitores que vão votar em 291 seções distribuídas entre 32 locais de votação.

Em seguida vem a 66ª seção, que tem 92.339 eleitores, 339 seções e 45 locais de votação. Apesar de ter menos eleitores, a 66ª tem 13 locais de votação a mais que a 137ª. E a menor é a 192ª, que tem ainda mais locais de votação: são 49. Esses locais vão receber 91.429 eleitores distribuídos em 304 seções.

O maior local de votação é a Universidade Estadual de Maringá, com 7.243 eleitores e 27 seções. O menor é o Centro Municipal de Educação Infantil Winifred Ethel Netto, com 204 eleitores e uma seção. A maioria dos locais de votação é em colégios e escolas. Dos 126, 107 são instituições públicas, 14 são colégios particulares, e tem duas instituições de ensino superior (UEM e Unicesumar), cinco centros de convivência e lazer ou escolas profissionalizantes.

São 934 urnas e 4.292 mesários em Maringá

Cada seção tem uma urna. São portanto 934 urnas já definidas para Maringá. O Fórum Eleitoral da cidade informou que já preparou 92 urnas extras para possíveis substituições. As urnas reservas vão atender as três zonas eleitorais de Maringá e também a 154º zona, que concentra os eleitores de Ivatuba, Paiçandu, Floresta e Dr. Camargo.

Para operar as urnas e auxiliar os eleitores, foram convocados 4.292 mesários. Metade do grupo é formada por voluntários. Eles vão se dividir em quatro funções: presidente, 1º mesário, 2º mesário e secretário. Por isso o eleitor vai encontrar no máximo quatro pessoas dentro de cada seção. Eles se dividem entre a conferência de documentos do eleitor, digitar os números do título na urna e entregar o comprovante do voto.

Os mesários não recebem qualquer pagamento, mas tem direito a auxílio alimentação e dois dias de folga para cada dia trabalhado nas eleições, 1º e 2º turnos. Também conta como dia trabalhado o treinamento realizado antes das eleições. Ter sido mesário pode inclusive ser usado como critério de desempate em concursos públicos.

O que o eleitor pode ou não no dia da eleição?

De acordo com a Justiça Eleitoral os eleitores têm direito a manifestar as opções partidárias, mas devem fazê-lo da forma correta. Confira o que o eleitor pode fazer sem infringir a lei eleitoral:

  • É permitida a manifestação individual e silenciosa do eleitor, ou seja, usar broche, adesivo, boné ou camiseta de um partido ou candidato, por exemplo. É proibida a aglomeração de eleitores com bandeiras ou camisetas de determinado candidato.
  • É proibido tirar “selfie” na urna. Isso pode configurar quebra do sigilo eleitoral, por isso o eleitor não deve levar para urna celular ou câmera fotográfica.
  • É permitido levar a famosa “cola” para lembrar os números dos candidatos escolhidos, inclusive o TSE disponibiliza uma versão para imprimir e usar no dia da eleição.
  • É proibido aceitar transporte ao local de votação, alimentação ou qualquer tipo de benefício por parte de partidos e/ou candidatos.

Vale lembrar que o horário para votar no domingo (7/10) é das 8h às 17h e que o eleitor pode baixar o aplicativo e-título para conferir os locais de votação e até usar como documento na hora de votar. E fica a recomendação do juiz eleitoral Frederico Mendes Júnior, “é importante o eleitor votar com responsabilidade”.

Confira aqui a lista completa com o nome e o número de todos os candidatos. Leia também as entrevistas exclusivas do Maringá Post com os principais candidatos ao Governo do Paraná.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.