Projeto sobre abertura do comércio aos domingos vai a votação na terça-feira à noite. Proposta mira nos supermercados

Por: - 7 de abril de 2018
Participantes da audiência pública sobre abertura de comércio aos domingos vibram com sugestão de fechamento imediato dos grandes supermercados / Reprodução da transmissão da audiência no YouTube

Na pauta da Câmara Municipal de Maringá de terça-feira (10/4), um projeto promete levar muita gente às galerias do Poder Legislativo. A proposta de regulamentação da abertura do comércio aos domingos, de autoria de Carlos Mariucci (PT), foi colocada em pauta.

Para garantir a participação popular, a sessão será realizada à noite, a partir das 19 horas, confirmou o presidente em exercício da Câmara, Mário Verri (PT).

A tendência é que a proposta seja aprovada pelos vereadores.

Desde o ano passado, quando o projeto que regulamenta o funcionamento do comércio aos domingos foi protocolado, com a mira voltada aos supermercados, o assunto divide opiniões.

Neste sábado (7/4), a Igreja Católica, que critica o funcionamento dos supermercados aos domingos, voltou a se posicionar.

O padre Genivaldo Ubinge, da coordenação da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Maringá, gravou um vídeo para explicar o posicionamento da Igreja Católica sobre o projeto de lei.

“O nosso entendimento não é proibir o trabalho aos domingos, mas regulamentá-lo. Somos os primeiros que desejamos o desenvolvimento sustentável de Maringá. Já as famílias cristãs católicas deveriam rever essa opção de comprar aos domingos e dias santos”, afirma o padre.

O posicionamento atual é mais moderado. Na convocação da primeira audiência pública, para discutir o o assunto, a Igreja Católica chegou a dizer que abertura escravizava os empregados.

64% dos consumidores comprar aos domingos

Pesquisa realizada pela Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) mostra que 64% dos consumidores da cidade compram aos domingos. Mais da metade deles, 52%, enchem os carrinhos em supermercados e hipermercados. Dos 333 consumidores ouvidos no dia 16 de dezembro de 2017, 61% fazem as compras nos bairros onde moram.

Os dados da pesquisa alimentam a discussão sobre a abertura do comércio varejista aos domingos.

Recentemente, no programa Cidade Entrevista, da Rede Massa, o arcebispo Dom Anuar Battisti, disse que não quer entrar em confronto com os supermercados, mas sim retomar o sentido do domingo para os cristãos.

“Deus trabalhou seis dias e no sétimo descansou. Queremos que o domingo seja respeitado como o dia de descanso e da família. É um mundo que vai contra o que existe de mais importante que é a família”, disse o arcebispo.

Segundo o presidente eleito da Acim, Michel Felippe, a pesquisa reforça que os consumidores querem a abertura do comércio aos domingos.

”É fundamental que tenha esse comércio aberto aos domingos. Assim, deve-se deixar os empresários verificarem se é ou não viável essa abertura, e a negociação ficar entre sindicato laboral e sindicato patronal.”

Supermercados defendem comércio aos domingos

A Associação Paranaense de Supermercados (Apras) defende a legalidade da abertura do comércio aos domingos. O decreto assinado pelo presidente Michel Temer (MDB), reconhece o comércio varejista como essencial, o que facilita a abertura aos domingos e feriados.

Com o decreto presidencial, os empresários podem abrir os estabelecimentos sem pagar multas ou passar por duras negociações.

Em entrevista a rádio CBN Maringá, o vice-presidente da Apras, Maurício Bendixen, considerou que a mobilização da Igreja Católica contra a abertura dos supermercados aos domingos “não tem lógica” e lembrou que cidades maiores ou do porte de Maringá abrem os supermercados aos domingos.

Veja mais informações sobre a polêmica no Maringá Post.

  • Atualizado às 17h40 de segunda-feira (9/4) com a informação e link para o blog Sala3 de que há uma tendência de aprovação do projeto. 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.