Lideranças falam sobre expectativas para Maringá em 2020. Previsão é que não deve faltar emprego

Por: - 30 de dezembro de 2019
Visão noturna da Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória / Ricardo Matiello

As expectativas de lideranças de vários segmentos de Maringá em 2020 são positivas. O mercado de trabalho tende a ficar mais aquecido em setores como a construção civil, a educação e a tecnologia da informação. No setor público, também há uma perspectiva de realização de várias obras.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM), Michel Felippe Soares, cita que a divulgação recente do crescimento de 5,06% em 2017 do Produto Interno Bruto (PIB) de Maringá em comparação com o ano anterior é sinal de uma retomada do crescimento real da economia.

“Agora para 2020 a tendência é de geração de mais empregos. O agronegócio continua a ser o carro chefe da economia, mas a indústria vai reagir e os setores de serviço e comércio vão ter um desempenho bastante positivo”, avalia.

Para o próximo ano, a ACIM também pretende ampliar os investimentos em inovação para melhorar a performance dos associados. A proposta do programa Inovus é criar um ambiente de inovação que permita aos empreendedores testar ideias e processos em poucos dias.

“Maringá tem um mercado que se diferencia no Brasil. Nossos empresários são empreendedores e estão sempre na vanguarda. Como entidade representativa de todo o setor empresarial, a ACIM procura estar aliada às tendências”, explica.

A Software By Maringá (SBM), entidade que representa as empresas de tecnologia da informação, também aposta na manutenção do crescimento do setor em 2020.

“Todos os setores da economia demandam desenvolvimento de soluções digitais, estamos vivendo um “bum” neste momento. As empresas de TI têm possibilidades de ocupar o cenário maringaense porque são muitas oportunidades”, analisa o presidente da SBM, Luis Marcos Campos.

O único problema que setor pode encontrar no próximo ano é falta de mão de obra para garantir o crescimento do setor. “Existe uma demanda muito grande de mão de obra qualificada. Estamos com mais de 600 vagas em aberto, sem pessoal para ocupar”, diz.

Para enfrentar o problema, a associação faz planos para 2020. “Vamos investir em campanhas para que os pais estimulem os filhos a seguir nessa vertente. Faremos campanhas em empresas e escolas, desde o ensino básico ao médio. Queremos estimular o maringaense a ver a tecnologia da informação como um setor promissor”, afirma.

Na área do turismo, Maria Iraclézia de Araújo, presidente da Maringá e Região Convention & Visitors Bureau, entidade sem fins lucrativos que reúne empresas de diversos segmentos do turismo, aposta em ano promissor.

“Tivemos grandes realizações no setor em 2019, e acredito que com o aumento de número de voos e o retorno da Latam para a cidade, novas oportunidades para o turismo e todo o trade turístico vai surgir, o que vai beneficiar Maringá”, afirma.

Maria Iraclézia ainda aposta no engajamento do empresário para fomentar o setor de turismo em 2020. “É importante que os setores dialoguem em prol de um benefício maior, o desenvolvimento sustentável de Maringá”, diz.

No agronegócio, o presidente da Cocamar, Divanir Higino da Silva, diz que a grande aposta para 2020 na cooperativa é o lançamento do novo planejamento estratégico, que vai orientar as ações da Cocamar nos próximos cinco anos. A previsão é que o plano seja apresentado no primeiro semestre do próximo ano.

Sobre o ano de 2019, Silva conta que se tratou de um ano “muito desafiador”. Ele diz que a força do cooperativismo foi fundamental para enfrentar os desafios do dia a dia e para transformar as dificuldades em aprendizados para 2020.

O prefeito Ulisses Maia (PDT) acredita que em 2020 o poder econômico do maringaense vai melhorar em comparação a 2019. “Maringá vive um momento positivo na economia, com o segundo lugar na geração de empregos no Paraná, atrás somente da capital do estado.”

Para 2020, Maia também aposta na abertura de mais empregos com a inauguração de obras como o Terminal Intermodal e Hospital da Criança, por exemplo. “Muitas obras vão ser entregues em 2020, isso contribui para gerar empregos e movimentar a economia”, avalia.

Dentro da Universidade Estadual de Maringá (UEM), o reitor Julio César Damasceno avalia que 2020 vai ser um ano importante com a possibilidade de inauguração do Centro de Excelência em Handebol e da Clínica Odontológica. Ele também cita as mudanças no vestibular que passa a ter cotas raciais e os vários convênios firmados com o poder público municipal e estadual.

Ele também não esconde a expectativa por mais investimentos na universidade. “Esperamos que finalmente haja a recomposição do nosso quadro efetivo de professores e técnicos para que possamos aproveitar todas as oportunidades na prestação de serviços e na internacionalização da instituição”.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.