Prefeitura assume creche da UEM, compra vagas e vai atender 1,7 mil crianças de uma fila de 4,2 mil

Por: - 2 de janeiro de 2020
Crianças brincam em creche de Maringá / Ademir de Moraes/ PMM

Pouco mais de 1,7 mil crianças, de uma fila de espera de espera de cerca 4,2 mil crianças de 0 a 3 anos, vão começar o ano de 2020 com uma vaga garantida nas creches de Maringá. Além de assumir a creche da UEM, a administração municipal conseguiu comprar 1.535 vagas para alunos de 0 a 3 anos na rede particular. Cada vaga custa cerca de R$ 1,2 mil ao mês.

Aos alunos é ofertada a alimentação, uniforme, material escolar, higiene, limpeza, cama e banho. Como na rede pública, o atendimento é em turno integral, com 11 horas diárias, de segunda a sexta, das 7 às 18 horas.

Newsletter Briefing
O que aconteceu de importante em Maringá, todo início de noite no seu email.
Saiba mais ou cadastre-se:

Mais vagas foram abertas com a assinatura do convênio entre a Prefeitura de Maringá e a Universidade Estadual de Maringá (UEM). Ao assumir a creche da universidade, mais 174 vagas passam a ser ofertadas em 2020.

O acordo assegurou a gestão da creche “Pertinho da Mamãe”, que passa a se chamar Centro Municipal de Educação Infantil Integrado à UEM.

A assinatura do convênio com a UEM, regulariza a gestão do CMEI junto ao Núcleo Regional de Educação de Maringá. Com a parceria, o quadro de servidores vai ser ampliado. Entre educadores, pessoal administrativo e operacional, cerca de 30 funcionários vão ser cedidos pelo município.

Segundo o reitor da UEM, Julio Cesar Damasceno, a reposição do quadro de servidores pela prefeitura foi fundamental para solucionar o difícil problema da ampliação da capacidade de atendimento da creche. A falta de servidores é um desafio para 2020, segundo o reitor.

A creche na UEM era de uso exclusivo para filhos de servidoras da universidade, mas agora também passa a atender também a comunidade externa. “A partir do ano que vem 50% das vagas serão destinadas as servidoras da UEM e os outros 50% para o atendimento à comunidade da região”, diz a secretária. As inscrições vão ser abertas em fevereiro.

De acordo com o prefeito Ulisses Maia, a proposta para o CEMEI é de aproveitar o potencial da universidade para fazer dele um modelo dentro da rede municipal. ”A partir deste convênio queremos potencializar nossa rede municipal de educação”, destaca Maia.

A fila de espera por vagas em creches motivou a Defensoria Pública de Maringá a criar o “crechômetro”.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.