Um ano após licitação, viaduto do Shopping Catuaí trava e governo estadual analisa alterações no projeto

Por: - 14 de dezembro de 2019
Desapropriações dos terrenos no entorno devem custar R$ 9,8 milhões / Agência Estadual de Notícias

A construção do viaduto do Shopping Catuaí Maringá, onde se cruzam as rodovias PR-317 e BR-376, está travada no Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) desde novembro. O órgão analisa o processo de avaliação do município sobre as desapropriações dos terrenos do entorno, que vão custar cerca de R$ 9,8 milhões.

Segundo a Secretaria de Obras Públicas de Maringá, o DER também estuda alterações no projeto.

“Tem uma equipe do DER que acha que o viaduto não vai cumprir a finalidade inicial dele, porque o maior problema é a BR-376. Ele [o projeto] se encontra no DER, aguardando a análise das desapropriações e eles estudam a possibilidade de rever o projeto”, afirma o secretário de Obras Públicas, Albari de Medeiros. 

O projeto do viaduto foi doado pela Viapar ao município, que repassou o projeto para o Governo do Estado. A licitação para selecionar a empresa responsável pela obra foi aberta em outubro do ano passado, durante a gestão da governadora Cida Borghetti (Progressistas).

Em um pacote de retenção de recursos nos primeiros dias de mandato, o governador Ratinho Junior (PSD) chegou a bloquear os recursos da obra. Meses depois, o governador decidiu autorizar a obra e foi dado início ao processo de desapropriações.  

A licitação do viaduto foi concluída em fevereiro deste ano. A Contersolo Construtora de Obras Ltda, de Mandaguaçu, ofereceu proposta de R$ 23,7 milhões. Após a emissão da ordem de serviço, o prazo para a construção é previsto em um ano. 

O Maringá Post entrou com contato com a assessoria de imprensa do DER, que até o fechamento desta reportagem não havia respondido os questionamentos.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.