Trinta agentes da Guarda Municipal de Maringá vão usar pistolas e espingardas. Só falta o porte na PF

Por: - 2 de junho de 2019
Formatura dos agentes da Guarda Municipal de Maringá que vão fazer patrulhas armados / Vivian Silva/PMM

Um último procedimento burocrático precisa ser vencido para que trinta agentes da Guarda Municipal de Maringá possam fazer patrulhas na cidade com pistolas e espingardas.

Os documentos, com o pedido de porte individual dos agentes, vão ser encaminhado pela Secretaria de Segurança de Maringá para a superintendência da Polícia Federal do Paraná, em Curitiba. A expectativa é que a autorização seja concedida nas próximas semanas.

Na quarta-feira (5/6), na sede da Secretaria de Segurança, o prefeito Ulisses Maia (PDT) vai sancionar o Estatuto da Guarda Municipal de Maringá.

Aprovada há poucas semanas pela Câmara Municipal, a nova legislação regulamenta o trabalho dos agentes e inclui o uso das pistolas e espingardas nos patrulhamentos.

A formatura dos 30 agentes da Guarda Municipal de Maringá que vão atuar com as pistolas e espingardas foi realizada na sexta-feira (31/5). Eles passaram por um curso na 2ª Escola de Formação, Aperfeiçoamento e Especialização de Praças (Esfaep), receberam instruções completas sobre tiros e passaram por testes psicológicos.

O processo de formação dos agentes foi iniciado em 2015, mas só foi concluído agora porque a administração anterior não priorizou o trabalho para armar a Guarda Municipal, o que veio a ser retomado após 2017, com o prefeito Ulisses Maia. “Nos últimos 2 anos foram mais de R$ 4 milhões em investimentos em viaturas, armamento e qualificação a exemplo de poucas cidades do país”, afirmou o prefeito na formatura dos agentes.

Uma nova turma começa a ter aulas na Esfaep a partir desta segunda-feira (3/6). São mais 30 agentes que vão receber toda a formação para trabalhar armados.

A expectativa é que o processo vai ser mais rápido, pois segundo o secretário de Segurança Pública, coronel Antonio Padilha, os agentes vão ser afastados do trabalho e terão dedicação exclusiva ao curso de formação e às aulas de tiros.

“Só vamos armar aqueles que realmente estão habilitados e qualificados. Tenham a certeza que os agentes vão honrar o diploma de maneira digna, fazendo a segurança pública de maneira integrada”, afirmou Padilha na cerimônia de formatura.

O deputado federal Sargento Fahur, disse durante discurso na cerimônia que armas de fogo são essenciais para quem atua na segurança pública. “Não consigo imaginar um operador dessa área trabalhar sem armas”, afirmou.

O comandante da Academia Policial Militar do Guatupê, coronel Ronaldo de Abreu, lembrou que as armas de fogo também trazem mais deveres e citou o personagem Homem-Aranha.

“O homem-aranha de Stan Lee ouviu do seu tio: ′com grandes poderes, tem grandes responsabilidades′. D evemos saber que trabalhamos com vidas e lembrar que o poder não emana das armas, mas sim da sabedoria em usá-las”, enfatizou.

Nos últimos dois anos, também foram adquiridos 13 veículos para a Guarda Municipal, um deles destinado exclusivamente para a Patrulha Maria da Penha, implantada em 2018.

Outro investimento que vai ser intensificado é em ações de videomonitoramento. O projeto Cidade Segura recebeu a adesão da Prefeitura de Maringá em dezembro, quando teve o anúncio de um financiamento de R$ 32 milhões para a compra de mil câmeras e para a criação de um novo centro de comando e controle inteligente.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.

Tenha acesso liberado ao melhor jornalismo da cidade. Assine o Maringá Post e fique bem informado. Saiba mais aqui.