Se eu não soubesse quem tu fosses , me embebedaria de absinto, maquinaria de poeira  caustica o meu rosto, me jogaria do prédio na tentativa  de cair num espinheiro.

Mas apreendi que nada se pode desperdiçar, o máximo permitido é reconhecer a própria culpa . Não da para brincar de ser feliz, e se embora eu ja não tenha dividas fixas com a humanidade, fico despedaçado , desinteressado por amar por sobre a distancia geograficamente.

Pare de me perturbar com lembranças naturais  porque eu posso enlouquecer enroscado em arame farpado ( nossa própria língua)

Luiz Renato Vicente é acadêmico de Filosofia da UEM (Universidade Estadual de Maringá). Vencedor de duas Edições do Prêmio Melhor Leitor do Ano pela Rotary Club Internacional e Semuc. 2017 ( 2º lugar) e 2019 ( 1º lugar) na categoria adulto. Autor do Livro Desamparo ( Micro-Contos) Pela AR Publisher Editora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here