Que tal darmos lugar ao absurdo ao invés do  principio ativo que encobre nossas vergonhas? Preciso deixar de confiar 100% em mim mesmo, principalmente no status de super corajoso. Quando sao totalmente humilhados, a carne faz resplandecer ao mesmo tempo a criação com todo o seu campo de domínio.

O destino é parte itinerante do caminho devido a percorrer; e acredite sempre havera no seu trajeto um desafio , uma canastra a se enfrentar.

Bebo vinho de Camus todos os dias e meu sangue não é  original porque fez suas escolhas mal celebradas. Sua saga seu legado, não me deixam, dormir quase todas as noites.

Querem saber um pouco sobre a Pandemia que assola o mundo? Leia “A Peste” de  Camus ou ainda mais destrutivo  José Saramago em ” As Intermitências da Morte”…

Ambos são premonitórios quase um Apocalipse. O nosso intestino faz um quebra, quebra de nós nos deixam imersos no chão.

Artistas são assustadores de vez em quando. Conduzem a criação a uma espécie de  pensamento rude errante.  As vezes tenho medo de mim com minha solidão tão hipócrita.

Luiz Renato Vicente é acadêmico de Filosofia da UEM (Universidade Estadual de Maringá). Vencedor de duas Edições do Prêmio Melhor Leitor do Ano pela Rotary Club Internacional e Semuc. 2017 ( 2º lugar) e 2019 ( 1º lugar) na categoria adulto. Autor do Livro Desamparo ( Micro-Contos) Pela AR Publisher Editora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here