Vereadores aprovam empréstimo de R$ 42 milhões para a Prefeitura de Maringá. Áreas para habitação social também passam

Por: - 9 de julho de 2019
Sidnei Telles, Flávio Mantovani e Odair Fogueteiro em visita em uma Zeis / Divulgação CMM

Os vereadores aprovaram nesta terça-feira (9/7) a autorização para a Prefeitura de Maringá fazer um empréstimo de R$ 42 milhões junto à Caixa Econômica Federal. O dinheiro vai ser aplicado na reforma da rodoviária, aquisição e reforma do Cine Teatro Plaza, na construção de duas Unidades Básicas de Saúde (UBS), na reforma de praças e construção de salões comunitários.

O empréstimo foi anunciado no mês de maio pela administração municipal, mas dependia da autorização dos vereadores para ser concretizado. O líder do Governo na Câmara, Alex Chaves (PHS), considerou que o empréstimo não afeta as contas públicas.

“O município tem as contas em dia, paga salário e décimo terceiro em dia e tem uma capacidade de endividamento interessante”, disse.

O vereador Jean Marques (PV) votou contrário ao financiamento e divulgou vídeo nas redes sociais para dizer que as obras que vão ser feitas não são essenciais e o empréstimo tem juros altos.

Junto a outros vereadores, Alex Chaves também defendeu a importância de “ressuscitar” o Cine Teatro Plaza, há vários anos em estado de abandono no centro de Maringá.

“O Cine Teatro Plaza é peça fundamental para a cultura, para a história e para o turismo local”, afirmou o vereador Sidnei Telles (PSD).

Telles também comemorou a aprovação de sete projetos de leis complementares que criam as Zonas Especiais de Habitação de Interesse Social (Zeis), outro projeto de lei de autoria do Executivo que pretende incentivar a construção de edifícios para habitação social em terrenos espalhados pelo município.

“Não é segredo para ninguém que muita gente não consegue morar em Maringá. Diversas pessoas trabalham aqui, mas precisam morar em Sarandi, Paiçandu ou Mandaguaçu porque não têm condição de construir casa na cidade, ou muitas vezes pagar aluguel numa residência mais próxima do trabalho. A Zeis vem para atender a nossa população neste sentido”, afirmou.

Segundo o líder do Governo na Câmara, Alex Chaves, a fila da habitação social em Maringá tem 7,2 mil pessoas. “A dificuldade é grande, o terreno é muito caro e poucos conseguem levantar uma casa para morar em Maringá.”

Antes de ser votada a proposta, foi criada uma Comissão Especial de Estudos (CCE), sob a presidência de Sidnei Telles, para analisar a criação das Zeis. Alguns dos terrenos visitados, ainda vão passar por nova análise antes da votação em plenário.

Veja abaixo as discussões na sessão ordinária realizada na manhã desta terça-feira.

  • Reportagem atualizada às 22 horas desta terça-feira com o posicionamento do vereador Jean Marques, contrário à aprovação do empréstimo. 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.