Assembleia de servidores rejeita proposta de reajuste da Prefeitura de Maringá. Foi oferecida a inflação

Por: - 27 de fevereiro de 2019
Primeira assembleia dos servidores aprova pedido de 10% de aumento / Valter Baptistoni

Em assembleia realizada na Câmara de Maringá, na noite desta quarta-feira (27/2), os servidores da prefeitura rejeitaram a proposta de reajuste salarial, com base na inflação oficial, oferecida pela administração municipal.

O plenário do Legislativo estava lotado. A rejeição da proposta de reajuste salarial de pouco mais de 3%, bem como do índice de 10% de aumento no vale-alimentação, foi decidida pela maioria absoluta dos presentes. Uma única servidora defendeu a aceitação da proposta feita pela prefeitura.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar) aprovaram em janeiro de 2019 um pedido de reajuste de 10% no salário e de 60% no vale-alimentação. O desejo dos servidores é que o benefício, atualmente com valor de R$ 312,50, com contrapartida de R$ 62,50, seja elevado para R$ 500.

Esta semana, em entrevista ao Maringá Post, o secretário de Recursos Humanos da Prefeitura de Maringá, César de França, disse que já seria difícil para o município conceder o índice de inflação para os servidores.

Com a rejeição da proposta, a diretoria do Sismmar e uma comissão de negociação, composta pela servidora Maria Helena da Silva (Saúde) e pelos servidores Matheus Luz (Seduc), José dos Reis Torres (Aposentado), Moisés Rebouças Santos (Sege), Valdir Peters (Sasc) e Adelson Rosa de Campos (Semusp), voltam à mesa de negociações para pleitear um reajuste maior à administração municipal.

Uma nova assembleia vai ser realizada depois do Carnaval, quando as negociações sobre o reajuste tendem a se intensificar.

A data base da categoria é no mês de março e passa a chegar aos servidores no salário pago no começo de abril. Para que possa ser implementado, o reajuste precisa passar pela aprovação da Câmara de Maringá.

Em 2017, o reajuste foi baseado na inflação, de 5,13%. Os servidores aceitaram com poucos questionamentos porque houve a implementação do vale-alimentação.

Em 2018, o reajuste também teve como base a inflação, de 1,81%, embora o vale-alimentação tenha recebido um aumento mais significativo, de 25%.

  • Reportagem atualizada às 15h30 desta quinta-feira (28/2) com a informação correta sobre o índice de correção pedido pelo Sismmar para o vale-alimentação. São 60% e não 160% como redigido inicialmente. 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.