TCCC pede isenção de ISS e subsídio para compensar tarifa de R$ 3,90. Prefeitura estuda reivindicação, mas garante que preço não vai mudar até 2019

Por: - 11 de julho de 2018
Prefeitura garante que a tarifa deve continuar em R$ 3,90 para o usuário (Imagem/ Divulgação)

A empresa Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC) não aceita o reajuste de 8,3% na tarifa e insiste em alternativas para melhorar a remuneração da empresa. Na terça-feira (10/7) a empresa protocolou um pedido na chefia de Gabinete reivindicando isenção do Imposto Sobre Serviços (ISS) e subsídios públicos para manter a passagem em R$ 3,90.

O diretor-geral da TCCC, Roberto Jacomelli, afirmou que o objetivo é equilibrar a saúde financeira da empresa e que, inicialmente, havia solicitado uma tarifa de R$ 4,35. A redução para R$ 4,30 se deu em razão da nova política de preços do diesel fixada pela Petrobras após a paralisação dos caminhoneiros.

A isenção do ISS, segundo Jacomelli, faria a tarifa baixar para R$ 4,15. Para chegar aos R$ 3,90 conforme decretado pelo prefeito e praticado desde segunda-feira, seria necessário um subsídio.

“É um direito e uma necessidade da empresa ter a tarifa adequada, para não perder a capacidade de investimento, o que pode levar à falência. Vamos continuar dialogando com a prefeitura”, afirmou o diretor da TCCC.

Segundo o chefe de Gabinete, Domingos Trevizan, a secretaria da Fazenda analisa o pedido da empresa e lembrou que o subsídio foi concedido pela prefeitura no ano passado. “Esse subsídio significa tirar dinheiro direto do caixa do Município e repassar para a empresa. É uma decisão que não se toma sem passar pela Câmara”, disse.

Trevizan considerou “normal” o pedido da empresa e afirmou que “a negociação é permanente, sempre ajustando um detalhe ou outro da planilha”. Porém, o secretário assegurou que até o próximo reajuste, no ano que vem, o valor da passagem para ao usuário será mantido em R$ 3,90: “A chance de aumentar é zero”, disse.

Há cinco anos, número de passageiros era menor

Apenas cinco dias depois do anúncio do reajuste da tarifa do transporte coletivo e de cobranças feitas por vereadores a Prefeitura de Maringá disponibilizou no site as planilhas com as justificativas da TCCC para o aumento da passagem.

Comprando as condições do transporte coletivo há 5 anos com as atuais, a média mensal de quilometragem rodada caiu enquanto que o número de passageiros aumentou. Em 2013, quando a tarifa padrão foi reajustada para R$ 2,25, a média era de 1,3 milhão de quilômetros rodados por mês.

Para o reajuste de 2018 que entrou em vigor esta semana, foi considerada uma média mensal de 1,2 milhão quilômetros. Segundo o diretor da TCCC, houve uma redução do serviço ao longo do tempo por causa da baixa demanda.

Em relação a 2013, o número de passageiros subiu 30% neste ano. Entre maio de 2017 e abril de 2018, em média 2,6 milhões de passageiros utilizaram o transporte coletivo por mês. Em 2013, esse número era de 2,049 milhões.

Porém, Roberto Jacomeli sustentou que “o número de passageiros está em queda constante nos últimos anos”. Comparando a planilha de 2016 com a deste ano, o diretor tem razão. O número médio de passageiros era de 2,9 milhões e sofreu uma queda de 9,9% comparado com a deste ano.

Jacomelli disse que a queda no número de passageiros pode ser explicada pelas políticas governamentais de juros baixos e acesso ao crédito para aquisição de motos e carros.

“A política do governo federal foi para estimular a venda de veículos e não o transporte coletivo. Maringá tem mais de 300 mil veículos e nós não temos uma política municipal para priorizar o transporte público”, acrescentou.

Motoristas da TCCC estão em estado de greve

Mesmo sem acordo salarial definido, a TCCC apresentou na planilha de custos o reajuste dos motoristas da empresa seria de 1,76%. Porém, o Sindicato de Motoristas e Cobradores de Maringá (Sinttrommar) pede um aumento de 6% nos salários, 10% na participação nos resultados e R$ 300 de vale-refeição.

Roberto Jacomelli disse que a empresa mantém a proposta inicial de reajuste, baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado dos últimos doze meses. Ele afirma que “não tem motivo para greve”, mas que a empresa não irá cercear o direito do sindicato de se manifestar.

“Estamos um um momento delicado no país, com um desemprego que todo mundo conhece. Estamos com o nosso sistema em baixa [redução de passageiros] e com a inflação baixa. A gente não vê motivo [de greve], tem que garantir empregos. Essa mobilização não cabe em lugar nenhum”, afirmou o empresário.



Denúncia de suposto assédio em ônibus de Maringá na rede social tem reação enérgica do prefeito. Caso não teve B.O.

A denúncia de suposto assédio em ônibus do transporte coletivo em Maringá feita por meio do Twitter na terça-feira (12/2) chegou até o prefeito...

Socióloga de Maringá é escolhida como embaixadora do Paraná em projeto nacional de Protagonismo Feminino

Trabalho visa a construir um futuro para o Brasil a partir da igualdade de gênero e da liberdade do feminino.

Após decisão do STF, seis cartórios judiciais de Maringá vão ser estatizados. Saiba quais são

Cabe ao Tribunal de Justiça do Paraná realizar concurso público para estatizar cartórios judiciais privados.

Inscrições do concurso público do Aeroporto de Maringá abrem na quarta. Até terça dá para pedir isenção na taxa

Pedidos de isenção da taxa de inscrição precisam ser feitos entre esta segunda-feira (18/2) e a terça-feira (19/2).

Denúncia de suposto assédio em ônibus de Maringá na rede social tem reação enérgica do prefeito. Caso não teve B.O.

A denúncia de suposto assédio em ônibus do transporte coletivo em Maringá feita por meio do Twitter na terça-feira (12/2) chegou até o prefeito...

Criado em Maringá, aiqfome é o app de delivery mais bem avaliado do Brasil, à frente do iFood

Na Apple Store, a nota dos usuários do aiqfome é 4.9 e na Google Play, 4.8.

Socióloga de Maringá é escolhida como embaixadora do Paraná em projeto nacional de Protagonismo Feminino

Trabalho visa a construir um futuro para o Brasil a partir da igualdade de gênero e da liberdade do feminino.

Após decisão do STF, seis cartórios judiciais de Maringá vão ser estatizados. Saiba quais são

Cabe ao Tribunal de Justiça do Paraná realizar concurso público para estatizar cartórios judiciais privados.

Inscrições do concurso público do Aeroporto de Maringá abrem na quarta. Até terça dá para pedir isenção na taxa

Pedidos de isenção da taxa de inscrição precisam ser feitos entre esta segunda-feira (18/2) e a terça-feira (19/2).

Empregos em Maringá

Últimas vagas de Empregos

GUIAS