Assembleia da UEM aprova greve geral a partir de segunda-feira (5/2) por atraso de salários. Governo do Paraná culpa reitoria e reitor rebate e repudia declarações

Por: - 1 de fevereiro de 2018
Assembleia da UEM, no Hospital Universitário de Maringá, na tarde desta quinta-feira (1/2) aprovou a greve

Os servidores e professores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) decretaram greve geral a partir de segunda-feira (5/2). A paralisação foi decidida na tarde desta quinta-feira (1/5) em assembleia do Sindicato dos Trabalhadores de Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar).

O motivo da greve é o atraso dos salários dos 4,2 mil servidores e professores da instituição, que deveriam ter sido liberados na última quarta-feira (31/1). O prazo de 72 horas é uma exigência legal e novas assembleias foram marcadas para a próxima segunda-feira, uma de manhã e outra à tarde.

“Nessas assembleias de segunda-feira vamos ratificar a paralisação geral se os salários não tiverem sido liberados”, afirmou o diretor do Sinteemar, Éder Rossato. Segundo ele, se o governo não se sensibilizar com a situação dos funcionários, “o movimento vai endurecer”.

Disse que entre as medidas que poderão ser tomadas pelo movimento estão o boicote às formaturas e às matrículas dos novos alunos, aprovados no Vestibular de Verão 2017 da UEM. Caso os salários tenham sido pagos, a greve deverá ser suspensa.

Os salários não foram pagos, segundo o governo estadual, por inconsistências nos dados enviados pela universidade para gerar a folha de pagamento do pessoal. A UEM é contra o Sistema de RH Meta4, implantado em janeiro deste ano pelo governo do Paraná.

Reitoria diz que UEM, UEL e UEPG não receberam

Na manhã desta quinta-feira, a Reitoria da UEM emitiu uma nota informando que os salários da instituição não haviam sido pagos, conforme diz a nota, que segue na íntegra:

“Sobre o pagamento da folha de janeiro dos servidores das universidades estaduais do Paraná, a Reitoria da UEM informa que apenas os servidores da Unicentro tiveram os salários depositados no dia de ontem, dia 31 de janeiro.

No meio da manhã desta quinta-feira, dia 1º de fevereiro, foram efetuados os pagamentos aos servidores da Unioeste. E, até o presente momento, os servidores da UEPG, UEL e UEM não tiveram os vencimentos depositados em conta.

Com relação às informações veiculadas na mídia de os arquivos encaminhados pela UEM apresentariam inconsistências nas informações, a Reitoria da Universidade esclarece que até o momento não recebeu nenhum pedido de complementação ou mesmo correção dos dados constantes nas planilhas que foram enviadas”.

Governo diz que só “UEM não autorizou pagamento”

Às 18h17 desta quinta-feira, o governo do Paraná divulgou matéria no seu site oficial alegando que a Reitoria da UEM não encaminhou o “ofício padrão ao Estado” para a transferência dos recursos da instituição” e por isso os salários não foram pagos. Segue a íntegra do texto publicado:

“A reitoria da Universidade Estadual de Maringá (UEM) ainda não autorizou a Secretaria da Administração a transferir os recursos da folha de pagamentos dos servidores da instituição para a Caixa Econômica Federal. Para liberar a operação, o reitor precisa encaminhar um ofício padrão ao Estado, assim como já fizeram as demais universidades estaduais. Em razão disso, ainda não foi possível depositar o pagamento de janeiro dos funcionários da UEM.

O Governo do Estado liberou a folha salarial dos servidores da Unicentro (Guarapuava), Unioeste (Cascavel), UEPG (Ponta Grossa) e UEL (Londrina). Os salários foram depositados, de forma gradativa, durante esta quinta-feira (01), conforme a finalização da análise das documentações enviadas nos últimos dois dias pelas reitorias.

Apenas os servidores e professores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) ainda não receberam os salários. Toda a documentação necessária para o processamento da folha foi conferida e aprovada. No entanto, até o início da noite desta quinta-feira, faltava a autorização do reitor para crédito no banco credenciado, nos mesmos termos em que o documento foi assinado pelas outras instituições estaduais de ensino superior.

Ao longo de toda a semana, os técnicos do Estado trabalharam em regime de plantão para concluir as análises dos documentos relativos às folhas salarias das universidades. A determinação do governo é para que, a partir da aprovação da documentação, os salários sejam liberados no menor prazo possível para as contas dos servidores”.

Reitoria emite nota sobre posicionamento do Governo

Na noite desta quinta-feira (1/2) a Reitoria emitiu uma nota a respeito das informações divulgadas pelo Governo do Paraná no começo da noite. Segue abaixo, na íntegra, a nota divulgada pela UEM.

“É relevante esclarecer para a Comunidade Universitária e para a sociedade a verdade dos fatos publicados no portal da agência de notícias do Estado do Paraná na tarde de hoje, de que “A reitoria da Universidade Estadual de Maringá (UEM) ainda não autorizou a Secretaria da Administração a transferir os recursos da folha de pagamentos dos servidores da instituição para a Caixa Econômica Federal”.

A Reitoria enviou hoje (1º/02, às 15h30mim) o Ofício para a Caixa Econômica Federal autorizando o processamento do arquivo da Folha de pagamento gerado pela CELEPAR. O texto deste ofício foi integralmente aprovado pela assessoria jurídica e pela gerência da Caixa Econômica Federal.

Desta forma, não existe nenhum impedimento para que o Estado realize a transferência para a Caixa Econômica Federal dos recursos para o pagamento dos salários de janeiro de 2018.

Ocorre que o Estado, para realizar a transferência de recursos, está coagindo o Reitor assinar um Ofício com um texto em que a Universidade Estadual de Maringá assume expressamente a obrigação de integrar o Sistema RH Meta 4.

Portanto, repudiamos a notícia veiculada no portal da agência de notícias do Estado e entendemos ser imprescindível a intervenção do Excelentíssimo Senhor Governador.”, professor doutor Mauro Luciano Baesso, reitor da UEM.

O reitor também convocou coletiva de imprensa para a manhã desta sexta-feira (2/2), na UEM.

  • Primeira atualização, feita às 18h14 desta quinta-feira (1/2), com a inclusão da nota da UEM.
  • Segunda atualização, feita às 19h26 desta quinta-feira (1/2), com a inclusão da nota do governo estadual.
  • Terceira atualização, feita à 0h de sexta-feira (2/2), com a inclusão de nota da Reitoria da UEM. 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.