Secretário da Fazenda diz que “UEM encaminhou documentação para o Meta4” e culpa reitoria pelo atraso dos salários. Ouça a entrevista

Por: - 31 de janeiro de 2018
Secretário da Fazenda do Paraná, Mauro Ricardo Costa, diz que "há desobediência civil por parte de setores da UEM"

O secretário da Fazenda do Paraná, Mauro Ricardo Costa, disse em entrevista coletiva nesta quarta-feira (31/1), em Curitiba, que a Universidade Estadual de Maringá (UEM) encaminhou a documentação para ingresso no Sistema de Gestão de RH Meta4 e que os dados estão sendo avaliados pelos técnicos. “Se forem válidos, o pagamento dos servidores da UEM será feito”, afirmou.

Disse que o atraso no pagamento não se deve a nenhuma ação do governo: “Quem está prejudicando os funcionários são as reitorias que desde julho de 2017 se contrapõem ao Tribunal de Contas do Paraná, ao Tribunal de Justiça do Paraná e a legislação em vigor, em atos de desobediência civil por certos setores da UEM”. Segundo Mauro Ricardo, as informações encaminhadas pela UEM estão sendo avaliadas.

Esforço para pagar servidores em breve

A entrevista à imprensa foi para o governo fazer um balanço sobre as finanças do Estado em 2017, mas jornalistas questionaram os atrasos nos pagamentos dos salários dos servidores universitários, especialmente da UEM. O secretário respondeu que o governo está fazendo um esforço concentrado, com servidores das secretarias da Administração e da Previdência, da Fazenda e do Planejamento, além da Celepar, para fazer os pagamentos.

Ouça a entrevista do secretário Mauro Ricardo Costa. Ele fala sobre o Meta4 a partir dos 3min43s até os 7min39s da gravação e retorna ao assunto aos 8min32, até aos 10min06

Disse que o Estado encaminhou, nesta quarta-feira (31), para a Caixa Econômica Federal as ordens de pagamento para o pessoal das universidades de Cascavel (Unioeste), Ponta Grossa (UEPG) e Guarapuava (Unicentro). E que ainda estão em análise os documentos enviados pela UEM e UEL (Londrina): “A determinação é para que o esforço prossiga durante a noite desta quarta-feira, para que os valores sejam liberados no menor prazo possível”.

Segundo ele, os primeiros arquivos das instituições de Maringá e Londrina apresentaram inconsistências nas informações. Segundo publicação no site do governo, “a consistência da integralidade dos arquivos de dados primários, contábil e de crédito é necessária para que as folhas dos respectivos funcionários e professores sejam processadas. Isso acontecendo, o pagamento será depositado imediatamente”.

No início da tarde desta quarta-feira (31/1), porta-voz da secretaria estadual de Administração afirmou que os arquivos enviados pela UEM não significavam o ingresso da instituição ao Meta4 e que haviam sido solicitados dados completares, que foram enviados no final da tarde. O reitor da UEM, Mauro Baesso, também afirma em vídeo que não encaminhou documentação para aderir ao Meta4.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.