Guia de Bairros – Centro, Novo Centro e Zona 8

Por: - 8 de novembro de 2021

Chegamos ao final da nossa série  “Guia de bairros de Maringá”. Hoje vamos entrar na máquina do tempo e conhecer a história de três locais: Centro, Novo Centro e Zona 8 (Antigo Aeroporto).

 

Centro

Como vimos no último post, nossa cidade teve início na região hoje conhecida como Maringá Velho. Contudo, na década de 1940 os engenheiros e diretores da então Companhia de Terras Norte do Paraná (CTNP) contrataram o urbanista Jorge de Macedo Vieira, que tinha larga experiência na aplicação do conceito de cidade jardim, para fazer um novo projeto para a cidade.

O projeto ficou pronto em 1945 e contemplava uma estação de trem, que deveria ficar em uma região mais plana e central da cidade; com isso, justificou-se a mudança do núcleo habitacional do Maringá Velho para o chamado Maringá Novo, que hoje conhecemos apenas como Centro.

O traçado de Maringá foi desenhado com largas avenidas, canteiros que valorizam o paisagismo e ruas que seguiam a inclinação natural do relevo o mais fielmente possível.

Os primeiros lotes do Maringá Novo começaram a ser vendidos em maio de 1947, mesma época em que é considerado oficialmente o aniversário da cidade. O novo projeto previa abrigar até 200 mil habitantes.

Contudo, o plano da estação rodoviária demorou para ser realizado e só saiu do papel em 1954, o que impulsionou o crescimento na região e já na década de 1950, Maringá pulou de 40 mil para 100 mil habitantes.

 

Curiosidades:

  • O urbanista Jorge de Macedo Vieira nunca esteve em Maringá. Ele se baseou em um planejamento desenhado por Cássio Vidigal, diretor da CTNP e seu amigo pessoal, além de algumas fotos aéreas da cidade.
  • A primeira residência construída no Maringá Novo ficava na Av. Brasil, entre as avenidas Getúlio Vargas e Duque de Caxias. Atualmente ela está no campus da UEM (Universidade Estadual de Maringá), para onde foi transferida em 1984, e abriga o Museu da Bacia do Paraná.
  • A Av. Tiradentes foi a primeira a ganhar belas casas com estruturas em alvenaria ainda na década de 50.

Novo Centro

Se a linha do trem trouxe progresso para a cidade, também trouxe novos desafios. A estação e o pátio de manobras ferroviárias ficavam próximos de onde é hoje a rodoviária municipal de Maringá e o Mercadão.

O problema é que a linha do trem repartia a cidade ao meio e causava dificuldades para os moradores que precisavam passar de um lado para o outro e, infelizmente, muitos acidentes foram registrados na época. 

Uma solução encontrada foi a construção do Viaduto do Café, em 1966, na época localizado na avenida São Paulo (em 1996 foi demolido para dar espaço à avenida Horácio Raccanello). Contudo, com a cidade crescendo, o viaduto não resolvia totalmente o problema e a prefeitura começou a pensar em alternativas.

 

Em 1985 uma Lei criou a Urbamar – Urbanização de Maringá S/A, uma sociedade de economia mista destinada especificamente para viabilizar a remoção e transferência do complexo rodoviário do Centro para a região chamada de Novo Centro.

A partir de então a Urbamar passou a adquirir lotes, desapropriar algumas áreas e rebaixar a linha férrea, de forma a minimizar os impactos no centro urbano, principalmente no tráfego das avenidas Tuiuti, Paraná e 19 de Dezembro, por onde os vagões cruzavam em nível com as vias, causando transtornos e grandes congestionamentos. 

Em 1991 a Estação Ferroviária foi demolida e em 1995 foi iniciado o rebaixamento da linha férrea, que teve de ser interrompido no ano seguinte por falta de verba (a prefeitura esperava custear o empreendimento com a venda dos novos lotes, o que não ocorreu). Somente com recursos do Estado, por meio do projeto Paraná Urbano, as obras foram reiniciadas.

O Novo Centro foi inaugurado oficialmente em 2006, com a finalização da Av. Horácio Raccanello.

Curiosidades:

  • Nos anos 1960, Maringá inicia sua expansão vertical e surgem nessa fase edifícios como o Três Marias, Maria Tereza e Maringá.
  • Na década de 1970, a companhia de trem parou de atender passageiros no entroncamento de Maringá, ficando exclusivamente como trem de cargas.
  • O primeiro projeto para a construção do Novo Centro era ousado e inovador. Foi feito em 1985 por Oscar Niemeyer e levava o nome de “Projeto Ágora”, mas com o tempo foi sendo reajustado para um projeto mais tradicional, que é o que conhecemos hoje.

 

Zona 8 / Antigo Aeroporto

Nem só de estação ferroviária vivia Maringá. Em 1949, a CTNP fundou na Zona 8 o campo de pouso, que veio a se tornar o primeiro aeroporto da cidade, lançado oficialmente em maio de 1957, quando recebeu o nome de Aeroporto Regional Gastão Vidigal, em homenagem a um dos diretores da empresa.

Logo no início da década de 1950, era intenso o movimento de chegada e saída das aeronaves, motivada pela correria de interessados na compra das terras que começaram a ser comercializadas em 1947.

 

Em 1966, começou a ser projetado um novo terminal, que foi completamente remodelado e reinaugurado em 1972. O antigo aeroporto funcionou até o final da década de 1990. Em 2001, foi inaugurado oficialmente o Aeroporto Silvio Name Júnior, que atende Maringá e região.

Curiosidades:

  • Em maio de 1971 foi inaugurada a Praça Salgado Filho, em frente ao antigo aeroporto.
  • Algumas celebridades já pousaram no antigo aeroporto, entre eles o então candidato à Presidência da República, Jânio Quadros (1960), Roberto Carlos (1969) e o então príncipe do Japão, Akihito, e sua esposa, Michiko (1978).

E assim chegamos ao final da nossa série contando um pouco sobre a história dos bairros maringaenses. Compartilhe comigo nos comentários suas impressões, lembranças e histórias de Maringá.

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here