‘Maníaco da Torre’ é condenado a 21 anos de prisão por homicídio e ocultação de cadáver

maníaco da torre
Compartilhar

Aconteceu nesta quinta-feira (13), no Tribunal do Júri da Comarca de Maringá, o quinto julgamento de Roneys Fon Firmino Gomes, mais conhecido como “Maníaco da Torre”. Ele é acusado de matar seis mulheres em Maringá – todas garotas de programa – e deixá-las embaixo de uma torre de energia em propriedades rurais.

Desta vez, o réu foi julgado pelo assassinato de Mara Josiane, que foi encontrada morta em 2015.

Na época, Roneys Fon foi preso após a polícia localizar no local de um dos crimes uma peça de carro que encaixou no veículo usado por ele.

O suspeito confessou o assassinato. Por esse motivo, a polícia reabriu investigações de casos não resolvidos de garotas de programas assassinadas em Maringá entre 2010 e 2015.

No julgamento desta quinta-feira (13), Roneys Fon foi condenado a 21 anos de prisão pelos crimes de homicídio qualificado por asfixia, feminicídio, motivo torpe e dissimulação, e também pelo crime de ocultação de cadáver.

Depois de passar por cinco julgamentos, Roneys Fon foi condenado em quatro deles. Em seu quarto júri, ele foi absolvido por falta de provas. No total, as penas somam 75 anos de prisão.

O acusado ainda deve passar por mais dois júris.

Foto: Divulgação / Arquivo


Compartilhar

Autor

Notícias Relacionadas