Síndica de prédio diz que espera remoção de árvore desde 2018

Solicitação da remoção de árvore foi feita em 2016, aprovada em 2018. Até o momento da publicação desta matéria, a árvore ainda não tinha sido removida.
Foto: Arquivo pessoal

Maringá é uma das cidades mais arborizadas do Paraná, o que é motivo de orgulho de parte da população. No entanto, esse fato também traz alguns transtornos, principalmente quando há ocorrência de chuvas fortes que acabam derrubando as árvores mais velhas.

Além de causar prejuízos, danificando residências ou veículos, derruba postes e compromete o fornecimento de energia elétrica – como foi o caso da tempestade da madrugada do dia 23 de abril.

Após o temporal de sábado que derrubou aproximadamente 500 árvores em Maringá, o prefeito Ulisses Maia usou as redes sociais para dizer que a prefeitura faz um trabalho preventivo de remoção e replantio de árvores.

Entretanto, moradores da cidade seguem aguardando uma resposta da prefeitura para a remoção de árvores.

Cristina Kagueiama Pires Barata é síndica de um prédio na Zona 7. Há mais de cinco anos, ela espera a remoção de duas árvores em sua rua. Em 2016, o protocolo foi enviado para avaliação e somente em 2018 foi aprovada a remoção de uma das árvores e a poda de outra.

“Desde então, ligo no 156 e até cheguei a abordar trabalhadores da prefeitura que estavam na nossa rua cortando outra árvore, mas falaram que seguiam a ordem do protocolo e não podiam cortar aleatoriamente”, explica Cristina.

Árvore em frente ao condomínio ainda não foi retirada. / Foto: Arquivo pessoal.

Apesar da aprovação, ela alega que não houve remoção e nem sequer previsão para a retirada.

Enquanto segue aguardando a remoção das árvores, o condomínio foi multado em função das raízes que danificaram a calçada. O condomínio teve que recorrer da multa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.