Fiscalização aplica quatro multas por falta do uso da máscara

Por: - 26 de fevereiro de 2021
As vistorias aconteceram ao redor do Parque do Ingá e na Vila Olímpica / Mileny Melo / PMM

Equipes do Grupo de Gestão Integrada (GGI) aplicaram quatro multas de R$ 1 mil por falta de uso da máscara na quinta-feira (25/2). No total, as equipes receberam 98 denúncias e realizaram 16 vistorias, seis orientações e uma autuação e interdição.

Na tarde de quinta-feira, um homem recebeu multa de R$ 1 mil ao ser flagrado caminhando na pista emborrachada do Parque do Ingá sem máscara. Ele foi abordado pela Guarda Municipal, orientado sobre importância da prevenção e, em seguida, multado.

No período da noite, um bar, localizado na Praça Manoel Ribas, foi flagrado com pessoas dentro do estabelecimento, fora do horário permitido no decreto, desrespeitando horário de fechamento e o toque de recolher. O estabelecimento foi autuado e interditado por 24 horas.

“Estamos abordando as pessoas com educação e respeito. Mas, deixamos claro que o decreto precisa ser respeitado e cumprido”, comentou o secretário de Segurança Pública, Ivan Quartaroli.

Na quinta-feira, o objetivo da ação foi orientar e multar pessoas que utilizavam a máscara irregularmente ou que estivessem promovendo aglomeração nos espaços públicos. As vistorias aconteceram ao redor do Parque do Ingá e na Vila Olímpica.

Na noite de quarta (24/2), o GGI já havia realizado vistorias e orientações em estabelecimentos sobre o horário de fechamento. Na ação, não foi aplicada nenhuma multa ou interdição.

As equipes de fiscalização se preparam para reforçar o trabalho no fim de semana. As vistorias serão entre 20h e 2h. As ocorrências mais comuns são festas clandestinas, aglomerações, falta da máscara de proteção, uso irregular da calçada, atendimento fora do horário permitido no decreto e falta de distanciamento entre as mesas. Também será verificado cumprimento do toque de recolher, entre 21h e 5h. O descumprimento gera multa de R$ 1 mil.

Os casos de Covid-19 em Maringá estão em crescimento e a cidade está chegando ao limite de ocupação dos leitos hospitalares para pacientes com coronavírus. No fim de semana, três grandes hospitais particulares de Maringá comunicaram, por meio de nota nas redes sociais, que alcançaram o limite máximo da capacidade de atendimento.

Na quarta-feira, foi a vez da Santa Casa de Maringá anunciar que o pronto atendimento opera no limite da capacidade. Em comunicado nas redes sociais, a Santa Casa de Maringá pediu que as pessoas que não estejam com sintomas da Covid-19 evitem procurar a unidade, exceto em casos de urgência e emergência. O hospital informou que vai priorizar casos mais graves de acordo com a classificação de risco já adotada.

Nesta quinta, o Hospital Municipal de Maringá chegou a 100% de ocupação. A prefeitura informou que a taxa de ocupação na unidade é de 93% na UTI Vermelha, onde ficam os pacientes entubados, e 106% na UTI Amarela, destinada para pacientes com suspeita de Covid-19 e com uso de máscara de oxigênio.

Com informações da Diretoria de Comunicação da Prefeitura de Maringá

  • Reportagem atualizada na sexta-feira (26/2), às 11h, com dados atualizados das equipes de fiscalização da prefeitura

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.