No 5º dia de greve, aumenta para 35% a frota de ônibus do transporte coletivo em circulação

12 de fevereiro de 2021
Transporte Coletivo
A paralisação das atividades do Transporte Coletivo iniciou na segunda (8/2) e continua pelo 5º dia consecutivo, nesta sexta-feira (12/2) / Divulgação TCCC

Nesta sexta-feira (12/2), foi registrado pequeno aumento na porcentagem de ônibus do transporte coletivo nas ruas de Maringá. Segundo a empresa Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC), 35% dos ônibus estão em circulação. O sistema metropolitano da empresa Cidade Verde voltou a funcionar nesta sexta, mas com apenas 10% da frota.

A paralisação das atividades dos motoristas das empresas TCCC e Cidade Verde começou na segunda-feira (8/2) e continua no 5º dia consecutivo nesta sexta-feira. A greve começou após o anúncio das empresas de que não teriam condições de cumprir integralmente com a folha de pagamento referente ao mês de janeiro.

Entenda a paralisação do transporte coletivo 

Na segunda-feira, primeiro dia da paralisação, a Prefeitura de Maringá notificou a TCCC. Uma das notificações solicitava que a empresa mantivesse o percentual mínimo de 30% da frota regular de ônibus em circulação. Outra notificação solicitava que a empresa apresentasse documentos comprovando que tem capacidade econômica e financeira de operar.

Ainda na segunda, as empresas informaram que efetuaram o pagamento do restante do salário dos funcionários. No entanto, os trabalhadores decidiram manter a paralisação e pedem a renovação do acordo coletivo de trabalho, o pagamento da participação nos lucros e/ou resultados, entre outras demandas.

Na terça-feira (9/2), liminar da Justiça do Trabalho proibiu que os ônibus do transporte coletivo fossem impedidos de circular. As empresas alegam que o Sinttromar, sindicato que representa os motoristas, impediu que trabalhadores voltassem ao trabalho. O sindicato se defendeu e disse que a greve era espontânea e partiu dos próprios motoristas.

No 3º dia de paralisação, na quarta-feira (10/2), motoristas do transporte coletivo continuaram concentrados em frente à garagem das empresas de transporte coletivo. Os funcionários impediram a saída dos ônibus do local.

Na quinta-feira (11/2), uma nova liminar expedida pelo juiz do Trabalho, Rafael Tanner Fabri, determinou a circulação dos ônibus do transporte coletivo. Com a decisão, a empresa informou que 17% dos ônibus voltaram a circular em Maringá.

A TCCC informou que não tem condições de atender a reivindicação dos funcionários. A empresa afirmou que enfrenta desequilíbrio financeiro desde março de 2020, causado pela redução do número de passageiros.