Passageiros reclamam de lotação e horários do transporte coletivo. TCCC afirma que não há previsão de quando serviço será normalizado

Por: - 4 de maio de 2020
Transporte coletivo segue tabela especial de horário, em algumas linhas com ônibus a cada uma hora / Prefeitura de Maringá

Duas semanas após a reabertura do comércio, o transporte coletivo ainda segue tabela especial de horário e em algumas linhas os ônibus circulam a cada hora. A empresa Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC), responsável pelo serviço na cidade, informou que o número de passageiros ainda é baixo e que a situação não deve ser normalizada tão cedo.

Passageiros reclamam de lotação em algumas linhas e dos horários alternados estabelecidos pela TCCC. Um passageiro, que preferiu não se identificar, mandou algumas fotos da linha 022 (Conjunto Guaiapó), sentido bairro, na quinta-feira (30/4), às 15h10. Pelo registro, é possível perceber algumas pessoas em pé e outras sentadas no chão.

O passageiro afirmou que a situação se repete todos os dias. Segundo ele, idosos também utilizam a linha. Apesar do cartão do passe livre bloqueado, alguns idosos entram pela porta do meio, sem passar pela catraca.

Outra passageira, que também preferiu não se identificar, relata problemas com os horários. “Eu pego a 152, de manhã, às 7h, e a tarde, às 18h, mas ou eu chego muito cedo ou eu chego atrasada. Se eu perco uma linha, só tem outra mais de uma hora depois”, disse. De acordo com ela, nem todos os passageiros usam máscaras e às vezes as janelas ficam fechadas.

Segundo o diretor executivo da TCCC, Roberto Jacomelli, não há superlotação no transporte coletivo. “Estamos dentro dos limites aceitáveis, observando os números não tem nada de superlotação, não tem demanda de passageiros. Tem horários que não tem passageiros, os ônibus circulam quase que vazios. Em boa parte do dia, a demanda está muito baixa”.

Roberto Jacomelli disse que a empresa segue o que foi decidido com a prefeitura e a oferta de ônibus está compatível com a demanda de passageiros. Ele informou que cada linha tem uma oferta específica, que pode ser com ônibus a cada meia hora ou a uma hora.

“Estamos monitorando horário por horário, todos os dias, e quando percebemos a necessidade estamos ajustando”, disse Jacomelli. O diretor executivo da TCCC afirmou que o número de passageiros está estabilizado, mas ainda é bem menor que a média de passageiros transportados antes das medidas de isolamento social.

Segundo boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura no sábado (2/5), em 4 de março 137.566 passageiros utilizaram o transporte coletivo na cidade. Em condições normais, diariamente eram transportados, em média, cerca de 120 mil passageiros.

Após o dia 20 de março, o número de passageiros caiu, mas voltou a subir subir em 31 de março. O último dado divulgado pelo município é referente ao dia 28 de abril, quando 29.944 pessoas utilizaram o transporte coletivo, número 65% menor que a média de passageiros antes das medidas de isolamento social.

De acordo com Roberto Jacomelli, com a queda no número de passageiros a empresa está em prejuízo financeiro. Ele não quis revelar os números, mas disse que se trata de um “prejuízo gigante, fora da curva” e que a empresa está demitindo funcionários, suspendendo contratos de trabalho ou reduzindo carga horária e salários, com base nas medidas provisórias do governo federal.

Segundo Jacomelli, não há previsão de quando o transporte coletivo será normalizado. “Pelas informações que temos observado, a tendência é que as coisas não se normalizem rapidamente. A retomada vai ser muito lenta, nós não temos estudantes no sistema e idosos não estão utilizando, a prefeitura determinou o fechamento do cartão dos idosos. Essa demanda normal acho que vai demorar para voltar a acontecer novamente.”

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.