Após saída de Ulisses Maia, PDT se reorganiza e anuncia filiação do vice-reitor da UEM, Ricardo Dias Silva

Por: - 7 de abril de 2020
Ricardo Dias Silva é o novo coordenador local do partido, mas disse que não pretende se licenciar do cargo na UEM para disputar a eleição / UEM

O prefeito Ulisses Maia deixou o PDT e decidiu se filiar ao PSD, partido do governador Ratinho Júnior. A mudança foi oficializada no sábado (4/4). Com a saída de Maia, o PDT começa a se reorganizar politicamente e anunciou a filiação do vice-reitor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), o arquiteto e urbanista Ricardo Dias Silva.

Ricardo Silva também é o novo coordenador local do partido. No comunicado divulgado nas redes sociais, o PDT afirmou que a filiação do arquiteto e urbanista “é considerada uma das maiores conquistas da legenda e pode representar uma das grandes alternativas às eleições municipais”.

Em entrevista para o Maringá Post em dezembro do ano passado, Ulisses Maia afirmou que “por decisão pessoal” não deixaria o partido. No entanto, ele tinha recebido um convite do governador Ratinho Júnior para se filiar ao PSD.

Nesta terça-feira (7/4), o prefeito disse que decidiu aceitar o convite para facilitar a relação da cidade com o governador. “É o mesmo partido dele. Ele me convidou e dessa forma tenho certeza que a cidade será muito mais beneficiada, por isso a mudança.”

Novo coordenador local do PDT, Ricardo Silva disse que a legenda ainda não tem uma posição definitiva de como vai se organizar para as eleições, mas que o partido constrói um novo caminho após a saída de Ulisses Maia. Silva foi consultado pelo partido há algum tempo e resolveu aceitar o convite no fim de semana.

Questionado sobre um possível apoio do PDT à reeleição de Maia, Ricardo Silva afirmou que o partido pode lançar um candidato próprio, mas ainda não há nada definido.

“Existe um desejo de lançamento de uma candidatura, a ideia do partido não é vir a reboque de outros partidos e outros projetos pessoais, mas construir uma candidatura a partir do seu programa. Mas ainda é cedo para dizer se vamos ter fôlego para essa candidatura.”

O coordenador local do PDT afirmou que a sigla também não definiu a chapa de vereadores para a eleição. Com o fim da janela partidária, o partido precisa organizar as novas filiações e verificar as desistências. Entre os novos membros do partido, por exemplo, está a professora da UEM Ana Lúcia Rodrigues, que deixou o PCdoB.

“Temos que fazer essa discussão agora, verificar os membros do partido que pleiteiam as candidaturas para que possamos fazer esse desenho da chapa que vamos participar do processo eleitoral”, afirmou Ricardo Dias.

Vice-reitor da UEM, ele afirmou que a prioridade no momento é a universidade e que não vai se licenciar para disputar a eleição.

“Não tenho um projeto eleitoral, eu tenho compromisso com a Universidade Estadual de Maringá e jamais me desliguei de qualquer cargo para assumir outro. Não existe nenhuma candidatura agora, mas é lógico que vamos discutir com os membros do partido e com os colegas que me fizeram o convite”.

Nove vereadores mudam de partido na Câmara

A janela partidária mexeu com a composição da Câmara de Maringá. Entre os 15 vereadores, nove mudaram de partido. De olho nas eleições e com o fim das coligações, a avaliação de alguns vereadores é que sozinhos alguns partidos não vão conseguir o número suficiente de votos para eleger um candidato.

Com as mudanças, o PV perdeu as duas cadeiras que tinha na Câmara e o PSB, que não fazia parte da atual legislatura, ganhou dois representantes. Confira as alterações:

  • Belino Bravin saiu do Progressistas e foi para o PSD
  • Flávio Mantovani deixou o Cidadania e se filiou à REDE
  • Sidnei Telles migrou do PSD para o Avante
  • Altamir dos Santos saiu do PSD e foi para o Podemos
  • Jean Marques deixou o PV e foi para o Podemos
  • Professor Niero migrou do PV para o MDB
  • William Gentil saiu do PTB e se filiou ao PSB
  • Dr. Jamal migrou do PSL para o PSB
  • Onivaldo Barris que estava sem partido foi para o PSL

Antes da janela eleitoral, Alex Chaves já tinha mudado de partido e se filiado ao MDB e Odair Fogueteiro ao PDT. A mudança dos dois sem punição foi possível após a incorporação do PHS ao Podemos.

Outro vereador eleito pelo PHS, Onivaldo Barris estava sem partido e anunciou a nova sigla apenas durante a janela partidária. Mário Verri e Carlos Mariucci continuam no PT e Mário Hossokawa segue filiado ao Progressistas.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.