Licitação da pista de caminhada do Parque do Ingá é homologada com proposta de R$ 3,9 milhões

16 de dezembro de 2019
Previsão é que as obras fiquem prontas em até oito meses após a assinatura da ordem de serviço / Divulgação PMM

A empresa R. Martins Garcia Construção Civil vai ser a responsável pela revitalização da pista de caminhada do Parque do Ingá. A empresa vencedora apresentou proposta de R$ 3,9 milhões, 13% menor do que o valor máximo previsto em edital pelo município, de R$ 4,6 milhões. O aviso de homologação foi publicado na quinta-feira (12/12).

O Maringá Post publicou reportagem no início de novembro, quando a empresa tinha sido declarada vencedora da licitação. No entanto, após aberto prazo para recurso, a Piossul Construção, Indústria e Comércio de Madeiras Ltda, que participou da concorrência, apresentou questionamentos. O recurso foi negado após a Procuradoria-Geral do Município opinar pelo indeferimento dos questionamentos apresentados.

A previsão é que após a assinatura da ordem de serviço, a obra fique pronta em até oito meses. A área ao redor do parque tem cerca de 3 mil metros de extensão e as obras vão ser feitas numa faixa de 17,8 mil m². De acordo com o município, a ideia é garantir um espaço para prática de atividades físicas, além de ampliar a permeabilidade no entorno da reserva.

A Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), responsável pelo projeto, manteve a proposta original de fazer uma pista de caminhada emborrachada, mas fez algumas alterações na tecnologia utilizada. Além de mais econômica, a nova tecnologia é semipermeável e sustentável. Para a camada de borracha, vão ser reutilizados cerca de 50 mil pneus.

A vegetação rasteira também será mantida junto ao alambrado, o que favorece a absorção da água das chuvas e garante a possibilidade de uso para a higiene de animais domésticos no local.

O projeto da pista de caminhada também contempla os deficientes visuais. Em toda a pista, vai haver sinalização tátil no chão. A intervenção também inclui a substituição e adequação das rampas de acesso para os cadeirantes.

Em alguns pontos no entorno do parque, vão ser criadas áreas de descanso, com bancos, bebedouros e lixeiras. Na Avenida São Paulo, vão ser criados espaços para a instalação dos carrinhos de sucos e lanches, o que vai evitar o conflito de clientes com as pessoas que vão praticar atividades esportivas.

Para quem usa a pista à noite, o projeto inclui iluminação em LED. Para evitar obstáculos, as bases dos postes vão ser colocadas junto ao alambrado.