Aos 50 anos, UEM chega ao Top 5 das universidades estaduais brasileiras

Por: - 12 de dezembro de 2019
Laboratório de pesquisa na Universidade Estadual de Maringá / Divulgação UEM

Antes considerada como sexta melhor estadual do Brasil, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) conquistou uma posição e está no Top 5 das universidades estaduais brasileiras. O reconhecimento coincide com as comemorações dos 50 anos da UEM.

A informação tem como base os indicadores de qualidade da educação superior referentes ao ano de 2018, divulgados nesta quinta-feira (12/12) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação.

De acordo com as informações disponibilizadas, a UEM é a 2ª melhor estadual do Paraná, atrás somente da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

No Índice Geral de Cursos (IGC), que é o indicador nacional que avalia as instituições de ensino que oferecem cursos de graduação e pós-graduação, a nota final da UEM mantém-se em 4 desde 2007.

A UEM tem registrado melhora no desempenho geral a cada ano. Nesta edição, alcançou a pontuação de 3,64, enquanto que em 2017 e 2016 os índices foram de 3,58 e 3,53, respectivamente.

Para calcular o IGC, o Inep utiliza a média dos Conceitos Preliminares de Curso (CPCs) dos últimos três anos, além dos conceitos dos programas de mestrado e doutorado e da distribuição dos acadêmicos em graduação e mestrado ou doutorado.  No total, 2.052 instituições foram avaliadas.

O Inep também divulgou os dados que compõem o CPC, que são os indicadores de qualidade dos cursos de graduação, também avaliados em escala de 1 a 5.

De 8.520 cursos de graduação brasileiros avaliados, 12 são da UEM, sendo um de educação a distância (Administração Pública).

Deste total de cursos da UEM, sete obtiveram o conceito 4, e cinco o conceito 3. Estão com 4: Administração, Ciências Contábeis (Cianorte), Ciências Contábeis (Maringá), Design (noturno), Direito, Psicologia e Secretariado Executivo Trilíngue.

Estão com 3: Administração Pública, Ciências Econômicas (integral), Ciências Econômicas (noturno), Design (integral) e Serviço Social.

O cálculo do CPC é feito a partir do resultado do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), do Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD) e de informações sobre o corpo docente, incluindo percentual de mestres, doutores e regime de trabalho, além da percepção dos universitários sobre seu processo formativo, tomando como base o Questionário do Estudante do Enade.

Com mais de 21,5 mil estudantes matriculados em cursos de graduação e pós, a UEM conta com sete câmpus, nas cidades paranaenses de Cianorte, Cidade Gaúcha, Diamante do Norte, Goioerê, Ivaiporã, Maringá e Umuarama, além de 30 polos de apoio presencial, da Fazenda Experimental de Iguatemi e do Hospital Universitário de Maringá (HUM).

A UEM nasceu em 6 de novembro de 1969, a partir de uma lei estadual, e teve sua fundação criada por decreto estadual em 28 de janeiro de 1970. O reconhecimento da universidade ocorreu em 11 de maio de 1976.

Na quarta-feira (11/12), na Câmara Federal, houve uma sessão solene pelos 50 anos da UEM.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.