Cartazes de interdição ética do CRM no Pronto Atendimento do HU de Maringá vão ser retirados na segunda

28 de maio de 2019
Entrada do Pronto Socorro do Hospital Universitário de Maringá / Agência Estadual de Notícias

É aguardada para a segunda-feira (3/6) a presença do médico e conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR), Márcio de Carvalho, no Pronto Atendimento do Hospital Universitário de Maringá (HUM). Em nome do CRM, Carvalho vai fazer a retirada dos cartazes com o indicativo de interdição ética que foram afixados no hospital no final de 2018.

Na noite desta segunda-feira (27/5), em plenária do CRM-PR, foi decidida a retirada do indicativo de interdição ética no hospital. O prazo dado pelos conselheiros ao hospital  terminou em 21 de maio, após um pedido do HUM de prorrogação da análise. O prazo inicial de 120 dias dado pelo CRM-PR terminava em abril.

“Constatamos que houve melhora significativa nas condições de atendimento do hospital, as escalas estão todas completas, sem furos nos últimos meses. A estrutura de atendimento também passou por mudanças, não temos mais a presença de pacientes nos corredores e o fluxo interno do PA teve sua gestão aprimorada, o que, consequentemente, beneficia o funcionamento do hospital como um todo”, avalia o gestor do Departamento de Fiscalização do Exercício Profissional do CRM-PR, doutor Carlos Roberto Naufel Junior.

O aviso da retirada do indicativo de interdição ética no Pronto Atendimento foi feito por telefone à diretora médica do HUM, doutora Daniela Alvares da Silva Matsumoto, na manhã desta terça-feira (28). Em conversa com o vice-presidente do Conselho, doutor Wilmar Mendonça Guimarães, ela foi informada da decisão.

Em viagem a Brasília, a superintendente do HUM, doutora Elisabete Mitiko Kobayashi, comemorou a decisão e se comprometeu a manter e melhorar a organização do hospital  em prol dos pacientes.

“Passamos por um período difícil, desde o ano passado, com um Pronto Atendimento lotado e cheio de desafios. Hoje, podemos dizer que a maior parte destes problemas foi solucionada, com muito empenho e trabalho das equipes e chefias do PA. Tenho a satisfação em dizer que o paciente, hoje, recebe um atendimento mais digno e melhor e a equipe de saúde também tem trabalhado mais tranquila e motivada.”

Para o Conselho, o resultado é positivo. “Nossa intenção nunca será de fechar qualquer serviço que preste atendimento médico à população. Porém, precisamos garantir tanto que o médico tenha condições de trabalhar quanto que seja seguro para o paciente”, afirmou o doutor Naufel.

  • Reportagem atualizada na quarta-feira (29/5), às 11h14, com a informação de que o conselheiro do CRM, Márcio de Carvalho, é quem vai fazer a retirada dos cartazes do indicativo de interdição ética do HUM. Anteriormente, a assessoria de imprensa do hospital tinha informado que a diretora do CRM, Fabíola Menegoti Tasca, iria retirar os cartazes.