Organização Mundial da Família diz que não faltam recursos para Hospital da Criança e obra vai ser finalizada em 2019

Por: - 22 de maio de 2019
Computação gráfica do Hospital da Criança de Maringá / Divulgação

Diante das dúvidas sobre a falta ou não de recursos para a conclusão do Hospital da Criança, o Maringá Post foi atrás da médica e presidente mundial da Organização Mundial da Família (WFO), responsável pela construção do hospital, Deisi Kusztra.

Ela não quis polemizar o assunto. Deisi afirmou na entrevista que o repasse de recursos está em dia e também voltou a afirmar que a construção da unidade vai ficar pronta no final de 2019. De acordo com ela, 60% das obras de construção do Hospital da Criança estão concluídas.

“Tenho recursos que estão no cronograma da prefeitura e que nos foram repassados. Não vou entrar nesse mérito [da falta de verbas], o que acontece politicamente em Maringá é uma questão com a Secretaria [de Saúde], mas não acredito que possa ter qualquer interrupção na obra por esse motivo”, afirma Deisi Kusztra.

A declaração de que não haveria recursos suficientes para conclusão do hospital em 2019 foi dada pelo secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, durante reunião promovida pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem).

A obra tem investimento de R$ 124,2 milhões, com R$ 90 milhões do Ministério da Saúde e R$ 34,2 milhões do Governo do Estado.

Em coletiva de imprensa durante a Expoingá, o governador Ratinho Junior (PSD) afirmou que a gestão anterior repassou apenas R$ 40 milhões dos R$ 90 milhões de recursos do Ministério da Saúde previstos para construção da unidade. Segundo o governador, o restante da verba foi investido em outras áreas.

“Assumimos o governo e não tinha esses R$ 50 milhões programados, o que nos causou um desafio para resolver. Estamos fazendo um estudo, com muita dificuldade, mas vamos cumprir esse compromisso para que o hospital não pare o cronograma de obras”, disse Ratinho Junior.

Questionada sobre as declarações do governador, a médica e presidente mundial da Organização Mundial da Família (WFO), responsável pela construção do hospital, Deisi Kusztra, diz que não tem conhecimento de que os recursos foram gastos em outras áreas. “O projeto está dentro do prazo, a prefeitura não nos deve nada, está em ordem com o que tem que pagar e estamos em ordem com a firma que trabalhamos”.

Câmara criou comissão do Hospital da Criança

Em meio a declarações sobre falta de recursos e a notícia de que uma das empresas responsáveis pelas obras teria deixado de pagar salários para funcionários, a Câmara de Maringá criou uma comissão especial para investigar a construção do Hospital da Criança. A iniciativa partiu do vereador Odair Fogueteiro (PHS), que preside a comissão.

Para Deisi Kusztra, a comissão é importante para mostrar aos vereadores que não há nada errado com as obras e também explicar como funciona a construção do hospital. “Em todo e qualquer projeto que fizemos no mundo, as câmaras se interessaram porque são projetos diferentes. Não sei porque no Brasil as coisas tem que ser diferente. Se fala em comissão, tem que ter alguma coisa errada. Não, acho [a comissão] muito bem-vinda”.

Sobre a empresa terceirizada que atuava na instalação das ferragens da obra, a médica afirmou que a firma deixou de cumprir algumas exigências e que o contrato foi encerrado.  Deisi não quis dizer quais itens a empresa teria deixado de cumprir, apenas que a empresa não apresentou documentos da folha de pagamento e de impostos, como previsto.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.