Prefeitura de Maringá desiste do rompimento de contrato com a Extracon. Obras seguem no Contorno Sul

Por: - 3 de abril de 2019
Foto divulgada pela Prefeitura de Maringá em 2010, logo após a recuperação do asfalto. Foi a última intervenção no trecho / Divulgação PMM

Poucos dias depois de anunciar que o contrato com a Extracon, para as obras do Contorno Sul de Maringá, seria encerrado e a segunda colocada na licitação seria chamada para realizar o serviço, a Prefeitura de Maringá decidiu rever a decisão.

Em nota divulgada na manhã desta quarta-feira (3/4), a administração municipal anunciou que as obras prosseguem. A decisão foi tomada após uma reunião entre os representantes da prefeitura e da Extracon.

A nota informa que “quanto ao realinhamento de preços solicitado pela empresa, as argumentações técnicas estão sob análise da Procuradoria-Geral do Município”.

No dia 25 de março, o discurso era outro, o prefeito Ulisses Maia (PDT) havia subido o tom e criticado o pedido de aditivo logo na fase inicial das obras. “A empreiteira nem começou a obra e já quis reajuste de R$ 1,2 milhão. Nós não aceitamos e estamos chamando a segunda colocada”, afirmou Maia na ocasião.

No mesmo dia, a empresa foi notificada pelo município sobre a intenção de rompimento do contrato e, após a reunião realizada na manhã desta quarta, o impasse teria começado a ser resolvido. Falta definir se vai ter aditivo no valor do contrato e de quanto.

recuperação emergencial do trecho de 12 quilômetros do Contorno Sul foi contratada por R$ 12,6 milhões. O valor total das obras já foi empenhado pela Extracon no mês de março, mas segundo o Portal da Transparência da Prefeitura de Maringá, nenhum pagamento foi feito até a tarde desta quarta-feira (3/4).

Os recursos para a recuperação do Contorno Sul foram obtidos por meio de um convênio entre o município e o governo estadual. O prazo para a conclusão da obra é de 210 dias a partir da ordem de serviço, que foi assinada com a presença do governador Ratinho Junior em Maringá, no dia 6 de fevereiro.

As intervenções contratadas contam com o recape em área de 164.720 m², fresagem em 27.468 m ², além de recomposição (processo mais profundo que o recape) em 31.559 m² nos trechos mais críticos. Também é prevista a demolição e obstrução das sarjetas para melhor escoamento das águas pluviais e conservação da pista.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.