Promotoria do Meio Ambiente recomenda que Carnaval 2019 de Maringá não seja realizado na Zona 10

Por: e - 28 de fevereiro de 2019
Jovens no pré-Carnaval paralelo no estacionamento do Willie Davids / Victor Cardoso

A Promotoria de Defesa do Meio Ambiente expediu uma recomendação na tarde desta quinta-feira (28/2) para que a Prefeitura de Maringá não realize o Carnaval 2019 de Maringá na Zona 10.

Pouco depois de receber a recomendação, o prefeito Ulisses Maia decidiu cancelar a festa de rua em Maringá.

Desde o anúncio da administração municipal, na manhã desta quarta-feira (27/2), o promotor de Meio Ambiente José Lafaiete Tourinho tem recebido queixas quanto à realização do evento próximo a um abrigo de animais.

O impasse entre os protetores de animais e a prefeitura ganhou força na manhã desta quinta-feira (28/2), quando onze vereadores resolveram se manifestar e assinaram ofício endereçado à promotoria sobre a festa na Zona 10.

O pedido dos vereadores, de que o Ministério Público recomendasse a realização da festa em outro endereço, acabou atendido.

“Por parte da Promotoria do Meio Ambiente, entendemos que aquele local não é adequado porque há vários canis. Maringá abraçou a ideia de atuar contra o barulho para os cães, os maus-tratos, e temos o receio com relação àquele espaço em relação à abusos, fugas de animais e outros problemas”, considerou o promotor.

O impasse em relação à Zona 10 ocorreu por a região abriga há quase 12 anos a ONG Dignidade Animal que atende mais de 200 cães. Nesta quinta-feira (28/2) cerca de 40 defensores da causa animal e se reuniram em frente à ONG para protestar contra a decisão da prefeitura e pedir que o Carnaval ocorra em outro local.

Segundo uma das voluntárias da ONG, Mari Cunha, a prefeitura sugeriu que os cães fossem transferidos para o Centro de Bem-Estar Animal, antigo Centro de Controle de Zoonoses do município. Porém, ela afirmou que o local não tem estrutura necessária para abrigar os animais.

“Por enquanto, os cães ficam aqui [na Zona 10]. Eles iam ceder para gente um pedaço do local [do Centro de Bem-Estar Animal], mas o barracão que tem lá é muito pequeno e em uma parte do espaço eles guardam veneno”, disse Mari.

O vereador Flávio Mantovani (PPS), que disse ao Maringá Post na quarta-feira (27/2) acreditar que os animais poderiam ser transferidos, mudou de posição. “Não vai ter tempo hábil para arrumar, por isso estamos sugerindo passar o Carnaval para outro lugar. A gente espera que o prefeito acate a ideia já que ele foi um dos que mais investiu na causa animal”.

Além do novo endereço, a prefeitura anunciou a redução de um dia do Carnaval 2019 de Maringá. Anteriormente, a festa estava prevista para durar cinco dias e começaria nesta sexta-feira (1/3) com o bloco “Tô Dentro”. A expectativa, agora, é que a festa comece no sábado (28/2).

O Ministério Público deu prazo de 24 horas para que a Prefeitura de Maringá se manifeste a respeito do caso. A reportagem vai ser atualizada assim que forem divulgadas novas informações sobre o assunto.

  • Reportagem atualizada às 20h40 com a informação sobre o cancelamento do Carnaval de Rua de Maringá. 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.