Colégio da Polícia Militar de Maringá tem R$ 3,5 milhões liberados para reformas. Na UEM, promessa é que obras paradas voltem a andar

Por: - 2 de dezembro de 2018

O Colégio da Polícia Militar de Maringá, que começa a funcionar em 2019 nas instalações do Colégio Estadual João XXIII, vai passar por reformas com investimentos que podem chegar a R$ 3,5 milhões.

São previstas pinturas das paredes, troca e revitalização de pisos e banheiros, reforma dos pátios, laboratórios e auditório, troca de janelas, e será feita a adequação dos espaços para acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência.

O dinheiro, a ser empregado pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar), foi anunciado na tarde de sexta-feira (30/11), em Maringá, pela governadora Cida Borghetti. No começo de novembro, Cida assinou o decreto de criação do Colégio da Polícia Militar de Maringá.

Na tarde desta sexta-feira (30) a Governadora do Estado do Paraná, Excelentíssima Senhora Cida Borghetti autorizou uma verba para reforma das futuras instalações do 4° Colégio da Polícia Militar do Paraná, pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (FUNDEPAR).

A governadora também anunciou a liberação de aproximadamente R$ 60 milhões para a Universidade Estadual de Maringá (UEM). Serão R$ 50 milhões para a conclusão de obras paradas, além de R$ 7 milhões em verbas de custeio para a universidade (R$ 4 milhões) e Hospital Universitário (R$ 3 milhões).

Em coletiva, há poucas semanas, o reitor da UEM, Júlio Damasceno afirmou que o hospital tem uma carência de 36 médicos, entre outros profissionais. As declarações foram dadas após três pacientes serem barrados na porta do hospital, após serem levados ao local por ambulâncias do Corpo de Bombeiros e Samu.

Com os recursos para o hospital, serão finalizadas cinco salas cirúrgicas e de recuperação anestésica e uma central de materiais e esterilização no Centro Cirúrgico do Hospital Universitário (HU) da instituição de ensino.

O local tem 3,1 mil metros quadrados. Além disso, o bloco industrial do HU, com refeitório, cozinha, lavanderia, almoxarifado e farmácia também será concluído. Segundo o reitor da UEM, Júlio Damasceno, a conclusão das obras permitirá colocar os serviços prestados na estrutura à disposição da comunidade.

Outros R$ 2,5 milhões serão aplicados no acabamento de obras na nova ala do Hospital Universitário, que tem 100 leitos, e na clínica odontológica.

No campus de Maringá, os recursos serão usados para a conclusão de um bloco no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (B12) para alunos do curso de ciências contábeis, um no Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (l24) para estudantes de história e ciências sociais, outro no Centro de Ciências Biológicas (l46) para os cursos de biologia e biomedicina, e no Centro de Tecnologia (C90), onde funcionam os cursos de engenharia de produção, engenharia elétrica, engenharia de alimentos e engenharia mecânica.

Parte dos recursos também vai ser aplicado na finalização de um teatro com capacidade para 1000 lugares e um centro de eventos para 600 pessoas – que funcionarão em uma área de 4,6 mil metros quadrados – e novos blocos para os cursos de psicologia, diretoria de material e patrimônio. Obras de acessibilidade na instituição, a exemplo de banheiros e rampas, e a reforma do laboratório de análises clínicas também estão previstas.

Ainda não foram divulgadas informações sobre o prazo para a liberação dos recursos para a UEM e nem sobre a abertura das licitações para a retomada das obras.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.