Maringá é a primeira cidade do interior em geração de empregos

No mês de abril o Paraná gerou 8.925 vagas de emprego com carteira assinada, de acordo com dados desta segunda-feira (06) do Caged. 

Com crescimento nos quatro primeiros meses do ano, o Estado já acumula um saldo de 61.686 postos de trabalho formais em 2022.

O saldo de empregos em abril é resultado da diferença entre 138.054 admissões e 129.129 demissões. O Estado foi o sétimo no País e o segundo na região Sul, quase empatado com o Rio Grande do Sul (8.939), na abertura de novas vagas no mês.

No Brasil, o saldo de vagas em abril chegou a 196.966, com resultados positivos em 25 das 27 unidades da federação.

“Com resultados positivos mês a mês nas contratações, o Estado está cada vez mais próximo dos índices de pleno emprego, quando toda a população economicamente ativa está ocupada”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Além da força do nosso setor produtivo, tudo isso é resultado das políticas de atração de investimentos e de empregabilidade do Governo do Estado, que facilita a vida dos empreendimentos que geram renda e novas oportunidades aos nossos trabalhadores”.

No acumulado de 12 meses, de maio de 2021 a abril de 2022, o Estado tem o melhor resultado da Região Sul, com um saldo de 154.475 postos de trabalho formais, contra 141.285 de Santa Catarina e 138.214.

O secretário estadual da Justiça, Família e Trabalho, Rogério Carboni, destacou que as ações das Agências do Trabalhador do Paraná, que neste ano encaminharam mais de 29 mil pessoas ao mercado de trabalho, e outros programas da pasta, como Carretas do Conhecimento e mutirões, auxiliam o Paraná na geração de empregos. .

“Fazemos esse trabalho na ponta, com constante diálogo com os empregadores, qualificação dos trabalhadores e a intermediação da mão de obra. São ações que fazem diferença na geração de empregos”, disse.

Dos 399 municípios paranaenses, 299 fecharam o primeiro quadrimestre de 2022 com saldo positivo na abertura de vagas, o que corresponde a 75% do total.

Em quatro deles, o número de contratações e de demissões foi o mesmo, com um saldo igual a 0. As outras 94 cidades (23,5%) tiveram saldo negativo no período.

Os municípios com o maior saldo de contratações foram Curitiba (16.623), Maringá (3.027), Cascavel (2.901), São José dos Pinhais (2.709), Toledo (2.160), Araucária (2.065), Londrina (1.668), Colombo (1.364), Pinhais (1.343) e Francisco Beltrão (1.203).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.