Projeto quer obrigar motorista alcoolizado que causa acidente grave a pagar pensão

O Congresso vai analisar um projeto de lei para obrigar motoristas que dirigirem alcoolizados a pagarem pensão alimentícia a vítimas ou a seus filhos em caso de acidentes graves.

A proposta foi apresentada nesta terça-feira (31),  pelo senador Fabiano Contarato (PT-ES) e prevê o pagamento quando houver mortes ou se a vítima ficar com sequelas graves. A ideia é que o valor seja definido na Justiça de acordo com as especificidades de cada caso.

O Senador sugere que, se a vítima tiver filhos menores de idade, o pagamento dure até os 21 anos ou até os 24 anos para estudantes universitários. Outro ponto incluído no projeto é que a dívida não é extinta se o motorista morrer e deve ser assumida por seus herdeiros.

Delegado de delitos de trânsito por mais de dez anos e ex-diretor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do Espírito Santo, Contarato diz que as famílias de vítimas de trânsito vivem uma situação de “insegurança emocional e financeira”.

“O número de óbitos em crimes de trânsito é alarmante. Infelizmente, só quando a consequência de seus atos dói no próprio bolso é que as pessoas irresponsáveis abandonam toda uma cultura de atos irresponsáveis que podem custar a vida de um semelhante. A indenização por meio de pensão é uma necessidade de rigor punitivo para aperfeiçoar o Código de Trânsito Brasileiro, que tem sigo enfraquecido nos últimos anos”, afirma

Em julgamento recente, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter a punição para motoristas que se recusam a fazer o teste do bafômetro e a proibição para a venda de bebidas alcoólicas nas rodovias federais.

Conteúdo por Rayssa Motta e Fausto Macedo 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.