O que prometem os candidatos a prefeito de Maringá? Veja os planos de governo

Por: - 29 de setembro de 2020
Candidatos à Prefeitura de Maringá apresentam as principais propostas caso sejam eleitos / Divulgação PMM

Os candidatos a prefeito de Maringá apresentaram os planos de governo com as principais propostas para a cidade. Os documentos, disponíveis no sistema de divulgação das candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), vão de quatro até mais de 100 páginas e trazem informações da campanha e promessas para Maringá.

Nos planos de governo, os candidatos apresentam propostas para educação, saúde, segurança, economia, meio ambiente e outras áreas. O Maringá Post fez um balanço com as principais propostas de cada candidato e disponibiliza o acesso das propostas na íntegra. 

Dos 13 candidatos a prefeito, apenas Anníbal Bianchini (PTC) e Valdir Pignata (Cidadania) não apresentaram plano de governo no momento do registro da candidatura. A pedido do Maringá Post, Anníbal Bianchini enviou o plano de governo com as propostas.

A campanha de Valdir Pignata informou que o documento está sendo ajustado. O plano de governo do candidato será incluído na reportagem assim que o Maringá Post receber.      

Akemi Nishimori (PL)

Akemi Nishimori apresentou plano de governo de 16 páginas com propostas para saúde, segurança, educação, cultura e turismo, mobilidade urbana, meio ambiente, esporte e lazer, assistência social e habitação. 

Na segurança, a candidata propõe a implantação do sistema Koban, incluindo módulos da guarda municipal, em locais estratégicos com maiores riscos e vulnerabilidade. Além disso, afirma que pretende intermediar com o governo estadual a volta da Polícia Militar 24 horas. 

Na área de mobilidade, o destaque é a proposta de estimular a implantação do Veículo Leve Sob Trilhos (VLT) na Avenida Brasil, que pode ser estendido para outras vias.

Acesse aqui a íntegra do plano de governo da candidata.

Anníbal Bianchini (PTC)

O plano de governo de Anníbal Bianchini ainda não está disponível no sistema de divulgação das candidaturas do Superior Tribunal Eleitoral (TSE). A pedido do Maringá Post, o candidato enviou o documento que está disponível na íntegra logo abaixo.

A proposta de governo de Anníbal Bianchini tem 69 páginas. Na educação, o candidato propõe alcançar nota 8 no IDEB e garantir reajuste anual do valor do Piso Salarial Nacional para servidores da educação. Além disso, o plano prevê ampliar e melhorar a inclusão do segundo idioma, inglês ou espanhol, para a rede municipal de educação.

O candidato propõe iniciar o projeto “Um Computador por Aluno” (UCA) e promover o Programa Participação Direta nos Resultados (PDR), um sistema de avaliação de desempenho e remuneração para servidores públicos municipais, vinculado ao cumprimento de metas e indicadores de resultado. 

Em relação à gestão, o plano apresenta a proposta de reduzir o tempo para abrir empresa e manter abaixo da média nacional de 20 dias, com objetivo de tornar Maringá “a cidade mais rápida do Brasil”. Para os distritos de Floriano e Iguatemi, o candidato promete uma gestão especial para que os distritos tenham condições e acesso a serviços como banco, segurança, bombeiro, saúde, educação e saneamento. 

No plano de governo, Anníbal Bianchini propõe formar uma gestão de subprefeitos por bairros e distritos para aproximar a gestão pública com a realidade de cada bairro e elaborar plano municipal para transição de mandato, reunindo por meio de audiências públicas e workshops lideranças que tenham interesse em disputar o cargo de prefeito nas eleições de 2024 para receberem qualificação. 

Acesse o plano de governo completo do candidato

Bovo (Podemos)

A proposta de governo de Bovo tem 17 páginas. O plano coloca como princípios do governo as pessoas, participação, integração, leis orçamentárias e importância regional. Na saúde, o candidato propõe nova estratégia e sistema de agendamento para atendimento das pessoas, que deve reduzir o tempo da prestação dos serviços. Segundo o documento, a proposta será explicada durante a propaganda eleitoral no rádio e TV. 

A coligação afirma que vai atuar para que o Hospital da Criança entre em funcionamento o mais rápido possível e diz que pretende estudar a viabilidade de implantação do Hospital do Trabalhador. 

Na educação, Bovo defende a implantação do programa chamado Bolsa Educação. O plano de governo não explica com detalhes a proposta, mas diz que será um “programa inovador que apoiará a educação de crianças, adolescentes e jovens que necessitam de políticas públicas. O benefício será concedido do ensino infantil ao superior”. 

Na segurança pública, o plano propõe um projeto unificado com a criação da Central de Informação e Capacitação em Segurança. O candidato promete a modernização da iluminação pública com a implantação de iluminação de LED em toda a cidade e o Programa “Poupa Tempo” para melhorar o atendimento ao cidadão. Bovo ainda propõe a criação do terceiro Conselho Tutelar em Maringá. 

 Acesse aqui a íntegra do plano de governo do candidato.

Carlos Mariucci (PT)

A proposta de governo de Carlos Mariucci tem 27 páginas. O documento é dividido em quatro eixos: gestão participativa, democrática e em consonância com os desafios da atualidade; desenvolvimento sustentável e economia solidária; o direito à cidade: infraestrutura e mobilidade urbana e direitos sociais, inclusão e emancipação: Maringá mais justa e humana. 

O documento apresenta ainda três propostas principais: criação de tarifa mínima no transporte coletivo, comitê de crise da pandemia e propostas na área de segurança pública que envolvem a implantação de um amplo sistema de monitoramento na cidade e a revisão de abordagem policial de jovens. “Pensar em uma política de segurança antirracista e que não criminalize a pobreza”, afirma o plano. 

No eixo de gestão participativa e democrática propõe a criação de uma gerência específica de formulação de políticas públicas para pessoas LGBTQIA+  e deslocamento da delegacia da mulher para o centro da cidade. 

No desenvolvimento sustentável e economia solidária apresenta, entre outras propostas, a criação de um Centro Público de Economia Solidária, espaço que concentre atividades de comercialização, formação e assessoria técnica, incubação e de articulação local da economia.

Acesse aqui o plano de governo completo do candidato

Coronel Audilene (Progressistas)

O plano de governo da Coronel Audilene é breve e apresenta as propostas da candidata em quatro páginas. No geral, o plano apresenta várias propostas que envolvem tecnologia. Na educação, por exemplo, entre outras propostas, a candidata propõe a implantação de escolas híbridas virtual/presencial no sistema municipal de educação.

Na saúde, ela defende a criação de um aplicativo para agendamento de consultas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e a implantação do programa de telemedicina no município. 

Em relação à assistência social, Coronel Audilene propõe programa para assistência à moradores de rua vítimas da crise econômica da pandemia e um software para acompanhamento das pessoas vítimas de violência e vulnerabilidade social. Na segurança, a proposta é viabilizar estudos para implantar barreiras virtuais nas entradas da cidade para análise de placa e reconhecimento facial.

Na área de mobilidade, ela afirma que pretende ampliar número de ciclovias e iniciar estudos  para implantação de ciclovias na Avenida Guaiapó e Avenida Tuiuti. No meio ambiente, implantar pelo menos quatro “Pet Parques” na cidade e estimular ações para promover o bem estar animal. 

A candidata também propõe realizar estudo junto à Rumo e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para aproveitamento do rebaixamento da linha férrea para transporte metropolitano de passageiros em ônibus entre Paiçandu, Sarandi e Marialva conectando as cidades diretamente com o Terminal Intermodal.

Confira o plano de governo completo da candidata.

Dr. Batista (DEM)

Dr. Batista apresenta plano de governo com cinco páginas que reúnem 17 propostas. Entre os projetos, ele propõe consórcio com municípios conectados com Maringá e convênio com governo estadual para a integração do transporte coletivo ou a implantação do terminal de embarque e desembarque de passageiros. 

O candidato defende a viabilização de um projeto de um Centro de Convenções para realização de congressos. Ele propõe promover de forma gradativa a garantia das vagas e demandas da educação infantil e implantação do programa de medicina preventiva. 

Acesse a íntegra do plano de governo do candidato.

Eliseu Fortes (Patriota)

O plano de governo de Eliseu Fortes tem 38 páginas. Entre as propostas, ele defende a implantação das disciplinas de Organização Social e Política Brasileira e Educação Moral e Cívica nas escolas do município. Além disso, o plano estabelece que em todas as escolas e Cmeis haverá, todos os dias, o hasteamento das bandeiras do Brasil, Paraná e Maringá e serão cantados o hino Nacional, à Bandeira, à Independência, do Paraná e de Maringá.

Na saúde, o candidato afirma que pretende implantar uma UBS a cada 10 mil habitantes ou uma Casa do PSF a cada 10 mil habitantes. Ele propõe equipar os postos de saúde com aparelho de eletrocardiograma e raios-x e implantar o agendamento de consultas e exames pela internet ou por telefone. 

O plano de governo do candidato prevê a criação da “Operação Flanelinha” para que a Guarda Municipal e outros órgãos de segurança pública “atuem para evitar as tentativas de extorsão cometidas por clandestinos que se apresentam como guardadores de carros, evitando também atos de vandalismo, furtos, roubos ou danos ao patrimônio”. 

Em relação à mobilidade, Eliseu Fortes propõe a criação de uma Escola Pública de Trânsito com o valor arrecadado com as multas de trânsito. Segundo ele, na escola os alunos receberão orientações de regras de convivência no trânsito e de convivência em sociedade.

Acesse aqui o plano de governo do candidato.

Evandro de Freitas Oliveira (PSDB)

Evandro de Freitas Oliveira apresenta plano de governo com 24 páginas. Em relação à educação, ele propõe implementar a creche corujinha e flexibilizar os horários dos Cmeis até as 19h.   

Na saúde, o candidato afirma que pretende ampliar, conforme necessidade, horário de atendimento nas UBS, realizar mutirões regulares de cirurgias e buscar recursos para criação do Centro de Referência à saúde da mulher com serviços especializados. 

No plano de governo, Evandro Oliveira propõe reavaliar a planilha de custos do transporte coletivo para buscar redução na tarifa. Ele também afirma que vai buscar parcerias com empresas privadas para instalação de Wi-Fi em todas as praças. 

O candidato afirma que será realizado estudo da situação do Hotel Bandeirantes para transformar o local em espaço cultural para artistas e a população. O plano de governo propõe ainda a descentralização dos serviços públicos com a implantação de subprefeituras em cinco regionais em Maringá, além das regionais de Floriano e Iguatemi.

Acesse plano de governo do candidato.

Homero Marchese (Pros)

O plano de governo de Homero Marchese tem 78 páginas com 90 propostas. Entre as propostas está a viabilização da Escola Técnica de Artes e Cultura de Maringá por meio de parcerias privadas e a criação do Museu de Maringá (MUMA) para dar visibilidade a acervos pouco conhecidos pelos maringaenses.  

Na educação, o candidato propõe a criação do Prêmio por Desempenho Educacional. Segundo ele, o objetivo é promover a valorização dos servidores municipais engajados na promoção da educação. O valor individual da premiação será calculado levando em consideração a assiduidade dos servidores de cada escola e o desempenho obtido na Prova Maringá de Avaliação Diagnóstica. 

Outra proposta de Homero Marchese é a criação do programa Nota Maringá, semelhante ao Nota Paraná. Segundo o plano de governo, o programa prevê a realização de sorteios e que parte tributo seja devolvido ao cidadão. O saldo poderá ser usado para créditos do Estar, do cartão Passe Fácil do Transporte Coletivo e até para pagamento de 50% do IPTU. 

A proposta de governo do candidato prevê a viabilização da construção do Jardim Botânico de Maringá e traz propostas para os distritos de Floriano e Iguatemi. 

Em Floriano, o candidato propõe redução da burocracia, recapeamento asfáltico e pavimentação de ruas cascalhadas, revitalização da praça da igreja, revitalização e reativação da pista de bocha, pista de caminhada e bicicleta na entrada do distrito e tirar do papel a rede de esgoto. Para Iguatemi, propõe contratação de funcionários para UBS, instalação de bicicletários, mais uma horta comunitária e outras propostas. 

Acesse aqui o plano de governo completo do candidato

Professor Edmilson (PSOL)

Em cinco páginas, o plano de governo do Professor Edmilson estabelece oito pontos principais: participação popular, auto-organização dos servidores, saúde, educação, segurança, juventude, meio ambiente e transportes.

O candidato propõe a criação dos Conselhos Populares, para organização dos trabalhadores que vão definir as prioridades da cidade, e dos Conselhos dos Servidores Municipais que vão apresentar os problemas na área que atuam e buscar as soluções. 

O candidato propõe que os conselhos podem buscar soluções para as áreas da saúde e educação, por exemplo. Em relação a segurança, o plano estabelece que “não compete à prefeitura municipal aumentar os contingentes armados”, mas uma política de descriminalização da juventude, criação de mais centros de referência, iluminação, policiamento preventivo, educação para as relações doméstica e promoção do respeito às diferenças de gênero, de raça, de culturas, de religiões, de opiniões e opções.

Acesse o plano de governo na íntegra.

Rogério Calazans (Avante)

No plano de governo, Rogério Calazans aborda em 104 páginas propostas relacionadas
à educação, saúde, trabalho e renda, segurança, meio ambiente e outras áreas. Na educação, o plano estabelece como um dos fundamentos o projeto “Escola Sem Partido”.

O plano afirma que o projeto é mal interpretado “por conta da ideologia de esquerda que dominou o nosso país”, mas trata de garantir conhecimento ao aluno e permite que o professor possa debater com plenitude do conhecimento. “O que o professor não deve é ensinar apenas uma linha ideológica considerada como uma verdade fática”, afirma o documento. 

Na saúde, Calazans propõe investimento e prioridade para terapias alternativas. A proposta de governo estabelece que “não haverá somente atendimento básico, mais sim uma transformação voltada para o incentivo às terapias alternativas”. 

Na gestão, o candidato afirma que vai reduzir o tamanho da Prefeitura, para que a máquina pública pode ser reduzida e simplificada com a criação do programa “Destrava Maringá”.

Em relação à mobilidade, Calazans afirma que são necessários investimentos em novos modais de transporte com sistemas inteligentes como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). O candidato também propõe a implementação do modal de bicicleta elétrica com a criação de um polo de produção dessas bicicletas na cidade. 

No meio ambiente, o plano de governo apresenta a proposta de uma parceria público privada para o Parque do Ingá. A proposta é fazer uma outorga para o manejo das árvores e para implementação de sistemas de engenharia modernos que pudessem viabilizar e recuperar diversos itens biológicos do parque. 

Acesse a íntegra da proposta de governo do candidato.

Ulisses Maia (PSD)

Na proposta de governo com 25 páginas, Ulisses Maia apresenta algumas realizações da gestão e reafirma compromissos do mandato como as eleições diretas para diretores de Cmeis e escolas municipais e o vale-alimentação dos servidores. Além disso, o plano de governo lista uma série de obras. 

Na administração, o plano de governo afirma que já “foram dados os primeiros passos para instalação do centro cívico” e afirma que deve ser lançado o projeto do novo Paço Municipal. Em transparência, o plano afirma que serão aumentados os dados disponíveis  no site da prefeitura e o portal da transparência será repaginado. Além disso, propõe a implantação do compliance na administração. 

Em educação, Maia afirma que vai manter a política de ampliação das escolas em tempo integral. “Em 2017, eram 32 unidades com ensino integral e agora são 38. Estenderemos o sistema até que todas escolas sejam atendidas”, diz o plano de governo. Além disso, o documento prevê instalação de equipamentos de ar-condicionado em todas as escolas e sistemas de energia fotovoltaica.

Em relação à mobilidade, o plano de governo apresenta proposta do projeto de mobilidade BRT (Bus Rapid Transit) no eixo leste-oeste, integrando Maringá e a Região Metropolitana. O candidato afirma que, caso seja eleito, a prefeitura vai assumir o sistema financeiro do transporte coletivo e propõe uma regulamentação, por meio de legislação, para garantir a redução da tarifa paga pelos usuários do transporte. 

Em relação às obras, o plano promete a construção do Viaduto do Catuaí, em parceria com governo do estado e o Boulevard do Contorno Sul com a transformação total da Avenida Sincler Sambati, com a transformação do contorno em avenida que vai integrar as regiões hoje divididas pela via. 

A proposta de governo propõe também a reforma de novas praças, execução e entrega de oito salões comunitários, construção dos viadutos do Contorno Norte e a reforma, construção e ampliação de Cmeis. 

O candidato propõe a aquisição dos pavimentos superiores e reforma do Cine Teatro Plaza para criação do Centro Cultural Plaza que vai abrigar, além de um grande auditório no térreo, a sede da Secretaria Municipal de Cultura, a Casa do Cinema e o Museu de Arte Contemporânea.

Ulisses Maia reafirma a promessa de reforma do prédio do antigo aeroporto para transformá-lo no Museu Histórico de Maringá e propõe a construção da Praça da Cultura nas proximidades do antigo aeroporto. 

Confira a íntegra do plano de governo do candidato.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.