Paraná se prepara para a campanha de vacinação contra Covid-19. Estado tem baixa adesão em vacina contra a Pólio

Por: - 6 de janeiro de 2021
A vacina contra a pólio faz parte do calendário nacional de imunização e está incluída na rotina dos postos de saúde/ Venilton Küchler/ SESA

Devido a baixa adesão, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite foi prorrogada. A campanha, que terminaria no dia 30 de outubro de 2020, tem sido prorrogada em todo o Estado e vai prosseguir até o término do estoque de vacinas ou até que seja atingida a meta de 95% de cobertura vacinal recomendada pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Paraná, o Estado não registra casos da doença desde 1986. A taxa de vacinação contra a Poliomielite em 2020 ficou em 81,31%, a menor nos últimos quatro anos.

Em 2016, 87,53% da população paranaense foi vacinada. Já em 2017 e 2018, a taxa ficou acima dos 90%. E em 2019, houve queda para 89,96%.

“Precisamos chegar a um índice de 95% para termos a segurança de que as crianças paranaenses estão realmente protegidas. Por isso, fazemos um apelo aos pais que levem os filhos aos postos para garantirmos a prevenção de todos” explicou a chefe do Programa Estadual de Imunização, Vera Rita da Maia.

Em paralelo às gotinhas, o Paraná se organiza para iniciar a vacinação contra a Covid-19. O Governo Federal suspendeu a exportação de agulhas e seringas. Em nota, o Ministério da Saúde explica que “existe um estoque satisfatório de seringas distribuídas nos postos de vacina do Brasil”.

“O Ministério da Saúde esclarece que solicitou ao Ministério da Economia que interrompa provisoriamente a exportação das seringas e agulhas excedentes dos contratos de venda para mercados externo e interno, firmados entre as empresas brasileiras e seus clientes. Assim, a pasta comprará apenas aquilo que exceder os lotes já contratados”,

Em meio às dúvidas, os estados têm realizado as compras por conta própria desses materiais. Em entrevista a RPC, o Governador Ratinho Junior conta que o Paraná tem estoque de seringas e agulhas e já há pontos de vacinação preparados.

“Nós temos hoje 8 milhões e 900 mil seringas e agulhas em estoque. É um dos estados do Brasil que mais tem estoque de seringa. Então, nós temos toda essa tranquilidade quando chegar essa vacina. A gente tem essa matéria a disposição da população e dos técnicos da saúde do nosso estado. Além disso, nós temos quase 1.980 pontos de vacinação que já estão catalogados, organizados com equipe, prontos para o recebimento”, explica o governador.

Também em entrevista a emissora RPC, o Secretário da Saúde do Paraná disse que ainda no primeiro mês de 2021, o Estado terá iniciado a vacinação contra o novo Coronavírus.

“Há uma garantia do ministro da Saúde, General Pazuello, que entre 20 e 31 de janeiro teremos vacinas nos estados para começar a vacinação dos profissionais de saúde da linha de frente. Nós temos no Paraná uma meta de 272 mil pessoas nessa condição, das quais um terço disso na linha de frente”, conta Beto Preto.

Dados levantados pelo biólogo Bruno Mioto mostram que 44 países estão realizando a vacinação contra a Covid-19, incluindo países vizinho ao Brasil, como a Argentina (Sputnik V) e o Chile (Pfizer/BioNTech).

Em tabela, Mioto organiza os nomes dos países, as respectivas vacinas utilizadas e a data de atualização. Veja aqui a tabela das Vacinas (COVID-19) aplicadas em cada país até 05 de janeiro de 2021 na íntegra.

O médico e deputado estadual Tercilio Turini (CDN), professor de Medicina da UEL e diretor do Hospital Universitário (HU) diz que “O Brasil não pode ficar adiando a decisão sobre a vacinação, por questões políticas ou burocráticas. Já existem vacinas eficazes de diferentes laboratórios. O momento é de agir e salvar vidas”.

Além disso, o deputado estadual lembra da verbas arrecadas para a aquisição da vacina. “Batalhei também com todos os deputados para o Paraná priorizar recursos na compra da vacina. Assim, a Assembleia Legislativa destinou R$ 100 milhões e o Governo do Estado mais R$ 100 milhões para aquisição imediata”, relata.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.