Sancionada a lei que autoriza mudar a gestão do Aeroporto de Maringá. Privatização é descartada

Por: - 27 de maio de 2019

O prefeito Ulisses Maia (PDT) sancionou a Lei Municipal que autoriza transformar a Sociedade de Economia Mista SBMG/SA, que faz a gestão do Aeroporto Regional Silvio Name Junior, em uma empresa 100% pública.

O texto foi publicado na edição desta segunda-feira (27/5) do Órgão Oficial do Município.  Uma emenda ao projeto original encaminhado pelo Executivo à Câmara de Maringá também incluiu na lei a autorização para a administração municipal privatizar o aeroporto.

No final da tarde desta segunda, o chefe de Gabinete da Prefeitura de Maringá, Domingos Trevizan, descartou a possibilidade da administração municipal trabalhar pela concessão do aeroporto à iniciativa privada.

“A privatização não está em pauta. A lei é apenas autorizativa e partiu do Legislativo”, disse Trevizan. Ele confirmou que o município vai dar andamento à ideia original, de tornar a SBMG uma empresa 100% pública. “Na prática muda muito pouco”, disse Trevizan.

Atualmente, o município tem 99.9988% e o 00.0012% restante é distribuído entre pessoas escolhidas pelo prefeito. A medida, desde a criação da SBMG, sempre serviu apenas para dar o caráter de sociedade de economia mista, mas não havia nenhum benefício a quem sedia o nome e nem prejuízo.

Ao mandar o projeto de lei para a Câmara de Maringá, o prefeito informou que o objetivo é corrigir o que a administração municipal pontua como “inconsistências, a exemplo do capital pulverizado em figuras políticas de governo.”

Com a publicação da lei, a Prefeitura de Maringá passa a ter um prazo de 360 dias para concluir o processo de transferência das ações para o município.

Durante a discussão na Câmara, o vereador Jean Marques (PV) foi quem propôs a emenda que também autoriza a prefeitura a privatizar o aeroporto.

Veja o que diz a emenda incluída pelo Legislativo

Art. 6.º Fica autorizado o Município de Maringá a promover a desestatização da empresa Terminais Aéreos de Maringá – SBMG S/A, mediante alienação da totalidade do capital social, no mesmo prazo de que trata o artigo anterior, com a consequente concessão da exploração do aeródromo de Maringá.

Parágrafo único. O processo de que trata o caput deverá observar, além da legislação competente e das regras do convênio de delegação do aeródromo, o seguinte:

I – obtenção de prévia e expressa anuência da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República;
II – ser precedido de avaliação de todos os ativos alienáveis da empresa e levantamento de todos os passivos;
III – realização de audiência pública de apresentação do balanço contendo todos os ativos e passivos, bem como relatório circunstanciado de todos os contratos e convênios vigentes e demais obrigações presentes e futuras, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias úteis da data prevista para a publicação do edital, e divulgada, com a antecedência mínima de 10 (dez) dias úteis de sua realização, pelos mesmos meios previstos para a publicidade da licitação, à qual terão acesso e direito a todas as informações pertinentes e a se manifestar todos os interessados.
IV – comunicação aos credores e contratados, pessoas físicas ou jurídicas, bem como a publicação de edital em jornais e meios de comunicação de âmbito, no mínimo, estadual, com antecedência mínima de 45 (quarenta e cinco) dias;
V – aplicação dos recursos obtidos com esse processo integralmente em execução de obras de infraestrutura urbana no Município.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.