Prefeitura propõe reajuste de 8,4% para taxas de roçada e limpeza em Maringá. Câmara de Vereadores adia votação

Por: e - 11 de dezembro de 2018
Servidores municipais de Maringá avaliam necessidade de limpeza em terreno baldio

A Câmara de Maringá retirou de pauta, por uma sessão, o projeto de lei do Executivo que propõe reajuste de 8,4% nas taxas de roçada e limpeza de terrenos sem edificação. O reajuste supera em 3,87 pontos porcentuais o índice proposto para o Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) 2019.

Tanto o IPTU quanto as taxas de roçada e limpeza têm como base o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), o que gerou confusão entre os vereadores. O pedido que levou a primeira discussão para a próxima quinta-feira (13/12) foi feito pelo líder do prefeito, vereador Jean Marques (PV).

Segundo a mensagem de lei do Executivo, os valores foram atualizados com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), que de acordo com os vereadores é de 4,53%. Caso seja aprovado o reajuste proposto, a taxa de roçada passa de R$ 0,83 por m² para R$ 0,90 por m².

Já a taxa de limpeza passaria de R$ 126,84 por hora/máquina (h/m) para R$ 137,50 e o transporte de carga por caminhão passaria de R$ 190,26 para R$ 206,26 por viagem. Esses reajustes elevariam as taxas de um lote de 400 m², com 1 h/m e 1 carga, de R$ 637,10 para R$ 703,76.

Votação do orçamento também é adiada

Os vereadores também retiraram de pauta o projeto de lei sobre o orçamento de 2019, a pedido de Jean Marques. O motivo é que o Plano Plurianual e a Lei de Diretrizes Orçamentárias ainda não chegaram na Casa. Segundo os vereadores, os três projetos de lei devem ser discutidos juntos.

O projeto de lei do orçamento recebeu 17 emendas, das quais 12 foram rejeitadas pela Comissão de Finanças e Orçamento. As áreas com mais recursos são Saúde, R$ 515,7 milhões, e Educação, R$ 312,1 milhões. Na relação por habitante, o orçamento de Maringá supera o de Londrina.

A última sessão ordinária antes do recesso legislativo será na quinta-feira (13/12). Para serem aprovados, os projetos devem passar por duas ou três votações, caso recebam emendas. Assim, ao menos uma sessão extraordinária deverá ser convocada pela Mesa.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.