Prefeito de Maringá diz que só vai autorizar reajuste da tarifa da TCCC quando novos ônibus chegarem

22 de janeiro de 2018
TCCC
Paralisação dos trabalhadores do transporte coletivo começou há uma semana / Divulgação

O prefeito Ulisses Maia (PDT) retornou às atividades administrativas nesta segunda-feira (22/1) e, para a surpresa dos usuários do transporte coletivo urbano e da própria direção da TCCC, informou que só vai assinar o decreto reajustando as tarifas depois que os novos ônibus que vão operar nos corredores das avenidas Morangueira e Kakogawa chegarem.

Havia sido combinado que o decreto seria assinado hoje, sem definição de quando entraria em vigor. O novo preço da passagem, que sofrerá um reajuste de R$ 0,20, foi definido no dia 5 de janeiro, pelo então prefeito em exercício Edson Scabora (PV) em reunião com o o diretor da TCCC Roberto Jacomelli.

A tarifa para quem usa o passe fácil irá subir de R$ 3,40 para R$ 3,60. O novo preço do cartão avulso, atualmente em R$ 4, será R$ 4,20 e os descontos, de 15%, concedidos para quem usa o transporte nos horários de menor movimento serão mantidos. A meia passagem, para os estudantes, vai de R$ 1,20 para R$ 1,30.

Jacomelli disse que foi surpreendido com a decisão do prefeito de não assinar o decreto nesta segunda-feira: “O Scabora nos disse que o decreto seria assinado pelo prefeito hoje”, comentou. E informou que “os seis novos ônibus, segundo prometeu a indústria, serão entregues ainda este mês”.

Disse que estava viajando e que, assim que retornar a Maringá, irá procurar “saber o que aconteceu”. Os ônibus que farão os corredores da Morangueira e Kakogawa têm chassi Scania de 310 cavalos, carroceria Marcopolo para 150 passageiros e custaram R$ 540 mil cada um.