A três sessões do recesso, Executivo ainda não enviou à Câmara de Maringá projeto de lei sobre reajuste do IPTU – 2018

Por: - 5 de dezembro de 2017
Presidente da Câmara de Maringá, Mário Hossokawa (PMDB): promulgou a lei que obriga câmeras de vídeo em salas de aula

Dos dois projetos de lei que precisam ser aprovados este ano, um, o que trata dos reajustes de impostos municipais, como o IPTU, ainda não foi protocolado na Câmara. E o outro, a Lei do Orçamento Municipal 2018, que estava em fase de emendas dos vereadores, deverá ter sua tramitação acelerada a partir de um acordo firmado com o Executivo divulgado nesta segunda-feira (4/12). As emendas até então propostas, de R$ 50 milhões, serão retiradas.

Inicialmente, o projeto de lei do Executivo tratando do IPTU, ISS e outros tributos seria encaminhado à Câmara na semana passada. O prefeito Ulisses Maia pediu alterações “em alguns índices”, conforme disse durante o último “Bate Papo com o Prefeito” (1/12), e desde então os técnicos da secretaria da Fazenda trabalham na adequação da matéria. Inicialmente, a promessa era que o projeto de lei seria enviado à Câmara ainda na tarde  daquela sexta-feira (1/12). Não foi.

A expectativa passou então para segunda-feira (4/12) e nesta terça-feira (5/12), minutos antes de iniciar a sessão da Câmara, o presidente Mário Hossokawa (PMDB) disse que o projeto de lei não havia sido protocolado. O Legislativo maringaense entra em recesso no próximo dia 15, sexta-feira. Ou seja, a Câmara terá apenas mais três sessões ordinárias, o que sugere a possibilidade a realização de sessões extraordinárias. “Convocaremos quantas forem necessárias”, disse Hossokawa.

O prefeito tem repetido que o IPTU não terá aumento, e sim um reajuste segundo os índice de inflação. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação, acumulado nos dez primeiros meses deste ano soma 2,21%. O maior índice do ano foi em outubro, com 0,42%, e o menor em junho, quando foi negativo: -0,23%.

O mercado, segundo os últimos boletins Focus, vinha semanalmente elevando a estimativa de inflação em 2017, mas nesta terça-feira (5/12) voltou a reduzir, passando de 3,06% para 3,03%. Consultado na segunda-feira (4/12), o diretor de Tributação da secretaria da Fazenda, Potiguara Rodrigues Pimentel, disse que o projeto de lei estava em redação e que assim que for enviado à Câmara o índice será divulgado.

No início de outubro, a então diretora-geral da secretaria da Fazenda, Cinthia Amboni, atualmente na Maringá Previdência, previu, conforme consta na Lei Orçamentária Municipal para 2018, que “a arrecadação com o IPTU terá um aumento de 12,64%”, apesar de a prefeitura deixar de cobrar a progressividade do imposto sobre os vazios urbanos.

A estimativa para o ano que vem é de R$ 147 milhões e, este ano, a arrecadação está próxima dos R$ 130 milhões. Cinthia argumentou que o aumento se deve especialmente aos novos loteamentos e a um significativo crescimento da cidade. Já Potiguara falava, em outubro, em revisões na Planta Genérica do Município, “mas não há intenções de que isso seja feito em relação ao IPTU”, disse.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.