Paraná prepara plano de retomada do setor turístico. Em Maringá, Convention faz manual de conduta para eventos

Por: - 24 de junho de 2020
04/2019 - Capanema - Rio Silva Jardim / José Fernando Ogura/ANPr

O Paraná prepara um plano de retomada do setor turístico. O projeto leva em conta experiências postas em prática por outros países que já passaram pelo auge da pandemia do novo coronavírus e que estão, aos poucos, retomando as atividades até então suspensas.

De acordo com a diretora Técnica da Paraná Turismo, Isabella Tioqueta, o órgão fez três pesquisas para embasar o plano de ação. Foram ouvidos turistas, empresários do setor e municípios que fazem parte do mapa do turismo brasileiro.

“As pesquisas nos permitiram saber a realidade vivida pelo setor e as expectativas. Conseguimos concluir, por exemplo, que o primeiro tipo de turismo que será retomado é o de curta distância. E é com base nesta informação que a primeira fase do projeto de retomada está baseado”, explica Isabella.

Para isso, a Paraná Turismo trabalhará na divulgação dos atrativos turísticos do Estado, sempre num raio de 200 quilômetros. As 14 Instâncias de Governança Regionais (IGRs), pontos focais do turismo no Estado, estão em contato direto com os municípios e o empresariado de cada região para fazer o levantamento de todos os produtos existentes – atrativos, serviços, comércio e tudo que exerça atração.

“Com este mapeamento, poderemos trabalhar com ações focadas, para atingir o público próximo e fomentar o turismo regional. Nosso intuito é convencer o paranaense a conhecer todas as belezas do Paraná”, afirma Isabella.

A Paraná Turismo está trabalhando também com protocolos de segurança para serem colocados em prática tanto nos pontos turísticos como em toda a cadeia que os cerca – estabelecimentos comerciais, hotéis, restaurantes.

A pesquisa ouviu órgãos oficiais de municípios das 14 regiões turísticas do Paraná. O levantamento mostrou que em mais da metade das regiões a atividade tem grande importância na vida econômica das cidades (55%). Outras 43% classificaram a atividade turística como importante.

A pesquisa quis saber, ainda, sobre a situação dos atrativos turísticos neste período. Dos que responderam, 34,7% informam que os atrativos turísticos públicos estão totalmente fechados e 19,5% parcialmente fechados. Já entre os atrativos privados, 27% estão funcionando parcialmente e 18% estão completamente fechados.

Para conseguirem sobreviver neste período, os equipamentos turísticos – bares, restaurantes, meios de hospedagem, transportadoras, agências, guias – aumentaram a divulgação de seus serviços nas redes sociais (44,5%).

A pesquisa procurou também medir o impacto econômico da pandemia nas atividades do setor. 50,6% dos pesquisados afirmaram que as restrições impostas pelo surto do coronavírus impactará até 75% da receita em 2020. Para 2021, o setor mostra-se um pouco mais otimista e 50% dos pesquisados diz que os impactos devem variar entre 20 e 50%.

Metade dos entrevistados acredita que o turismo será uma importante ferramenta para ajudar a economia local. Para auxiliar nisso, os municípios informaram que pretendem apoiar os atores que atuam no turismo municipal divulgando e ampliando as ações do município na internet.

As prefeituras mostraram-se ainda dispostas a promover campanhas de sensibilização no município e no entorno, além de ampliar a oferta de ações culturais e esportivas para atrair turistas quando a pandemia já estiver controlada.

Os pesquisados foram estimulados a sugerir ações para a retomada das atividades do setor. Foram listadas ações como capacitação das pessoas que trabalham no ramo sobre os protocolos da prevenção e controle da Covid-19.

Foi sugerida, também, a criação de um selo municipal que sinalize o respeito aos protocolos de combate à Covid-19 pelos locais e equipamento turísticos, além do fortalecimento de medidas sanitárias para a preparação da volta segura e gradativa das atividades turísticas.

A pesquisa mostrou, ainda, que os municípios querem usar a crise como uma oportunidade de reavaliar e reestruturar a organização do turismo no Estado, aproveitando as adversidades vividas para fortalecer o uso de inovações tecnológicas.

De acordo com a diretora técnica da Paraná Turismo, todos os resultados da pesquisa estão sendo levados em conta para traçar ações estratégicas de fomento do turismo regional. “Também foram realizadas pesquisas com turistas e empresários. Com todas estas informações, poderemos traçar de forma conjunta, ações eficazes para fortalecer o setor”, afirma.

O universo da pesquisa foi composto pelos municípios que fazem parte do Mapa de Regionalização Turística/2019 (217 municípios ao todo).

Os questionários foram encaminhados por e-mail para Órgãos Oficiais de Turismo (OOTs), Instâncias de Governança Regionais (IGRs) e Escritórios Regionais da Paraná Turismo. O resultado foi composto por 191 respostas, representando 155 municípios. A pesquisa foi realizada de 20 de maio a 03 de junho de 2020.

Convention Bureau de Maringá entrega Manual de Conduta para Eventos ao prefeito

O Maringá e Região Convention & Visitors Bureau entregou ao Prefeito de Maringá, Ulisses Maia, o Manual de Conduta para Eventos, após a reunião com lideranças municipais, na tarde desta terça-feira (23/6), na prefeitura. A presidente do Convention, Maria Iraclézia de Araújo, e o gerente regional do Sebrae/PR, Wendell Gussoni, oficializaram a entrega do documento ao prefeito.

O material, desenvolvido com iniciativa do Convention em parceria com o Sebrae/PR, e apoio da Diretoria Municipal de Turismo, trata de protocolos sanitários e de segurança, focado em espaços para eventos e empresas prestadoras de serviços para o setor, com o objetivo de orientar sobre novas normas de condutas que possam surgir para a realização de eventos na cidade durante e pós-pandemia.

Com o avanço da pandemia e o impacto no setor de eventos, o Convention criou um comitê gestor focado no setor, com o intuito de debater e se antecipar a retomada em Maringá. O manual é fruto desse comitê, integrado por diretores do Convention ligados a empresas do setor de eventos, que se empenharam em analisar normas estabelecidas nacionalmente e aplicar ao cenário local. Após a compilação de informações de materiais base como da Go Live Brasil, ABRAPE, UBRAFE e ABEOC, o documento foi desenvolvido com consultoria e apoio do Sebrae/PR.

De acordo com a presidente do Convention, Maria Iraclézia de Araújo, o manual visa orientar as empresas, mas também o poder público na produção de um novo decreto envolvendo o setor. “Nos movimentamos em prol do segmento e concluímos que desenvolver um protocolo entendendo a realidade do setor de eventos em Maringá seria o ideal para o momento. O objetivo do manual, além de orientar as empresas, é também basear o poder público na formatação de um decreto, entregando a realidade do setor na cidade e o que pode ser aplicado sem prejudicar os empresários, cumprindo todas as normas sanitárias e de segurança”, explicou. O manual estará disponível para consulta nos próximos dias.

A reunião desta terça marcou o lançamento do Plano de Retomada Econômica e Social de Maringá pela Prefeitura de Maringá. O plano deve ser elaborado em colaboração com entidades representativas de classes e setores econômicos e sociais da cidade.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.