Primeiros prédios do Eurogarden começam a ser construídos em 2020, diz coordenador do projeto

Por: - 18 de dezembro de 2019
Primeiros prédios construídos serão uma torre comercial e outra residencial / Argus Empreendimentos Imobiliários

Inspirado no conceito de cidades inteligentes, o Eurogarden é um bairro planejado que pretende reunir em um mesmo espaço áreas residenciais, comerciais e para oferta de serviços. O projeto está no início da primeira de três fases de execução. Nesta etapa, são feitas obras de infraestrutura, paisagismo, galerias pluviais, asfalto e outras intervenções.

Os dois primeiros prédios do Eurogarden devem começar a ser construídos até o final de 2020. De acordo com o coordenador do projeto, Jeferson Nogaroli, os primeiros empreendimentos comercializados vão ser uma torre comercial e outra residencial de 30 a 35 andares.

Projeto da Argus Empreendimentos Imobiliários, o Eurogarden começou a ser desenvolvido em 2010 e, em função da crise econômica, sofreu alguns atrasos. O espaço de quase 60 hectares fica na área do antigo aeroporto, próximo ao Hospital da Criança e da região onde vai ser construído o novo fórum.

“É como se fosse uma cidade dentro de outra. É um bairro autônomo, a ideia é que ele tenha um mix de escritórios, comércio, serviços e moradia”, explica Nogaroli.

Entre as obras de infraestrutura que vão ser realizadas pela Argus Empreendimentos Imobiliários está o prolongamento da Avenida Brasil. O trecho vai ser prolongado a partir da Avenida Gastão Vidigal, cortando a área do antigo aeroporto. Para o Hospital da Criança funcionar o prolongamento precisa estar pronto, já que a entrada principal será pela Avenida Brasil.

De acordo com Jeferson Nogaroli, as obras de prolongamento da avenida já começaram. Ele explica que é preciso concluir a instalação da fiação subterrânea antes da pavimentação asfáltica. A previsão é que o prolongamento da Avenida Brasil fique pronto entre julho e agosto de 2020.

Segundo ele, o projeto do Eurogarden deve ser concluído totalmente entre 10 e 15 anos. O empreendimento aposta no conceito de cidades inteligentes e em um modelo que os moradores possam ir ao trabalho ou utilizar outros serviços sem precisar do carro. A expectativa é que até 60 mil pessoas possam trabalhar e morar no local. 

“É uma cidade 15 por 15. Com 15 minutos para lá e 15 minutos para cá você consegue fazer as atividades profissionais, compras e serviços. Não precisa de grandes deslocamentos, você pode fazer tudo próximo”, afirma o empresário.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.