Tinbot, o robô criado em Maringá, vai ser vendido na rede Polishop. Acordo foi firmado no Shark Tank

Por: - 19 de agosto de 2019
Tinbot foi sucesso no palco do Shark Tank Brasil / Divulgação

O Tinbot, robô criado em Maringá, vai ser comercializado pela rede Polishop. A parceria foi fechada durante o episódio do Shark Tank Brasil que foi ao ar na sexta-feira (16/8). Para participar do negócio maringaense, João Appolinário, fundador e CEO da Polishop, propôs uma participação na estratégia de vendas no mercado nacional.

O robô criado em Maringá vai ser disponibilizado nas 300 lojas da marca, no e-commerce da Polishop e vai ser apresentado nos programas de vendas da empresa.  Em troca, o tubarão João Appolinário fica com 10% de royalties até que as vendas atinjam R$ 18 milhões. Momento em que ele passa a ter 10% de equity (participação na Tinbot Robótica).

Rogério de Souza, CINO (Chief Innovation Officer) do DB1 Group e diretor executivo da Tinbot Robótica havia oferecido aos tubarões 5% da startup desenvolvedora do robô por R$ 1.8 milhão.

A apresentação do robô criado em Maringá foi divertida. Ao chegar ao palco, foi o Tinbot que iniciou a apresentação. “Olá tubarões, eu sou o Tinbot e posso ser programado para qualquer função, inclusive para ser um ‘tubarão’, só me falta o dinheiro. Hehehehe!”, brincou.

O robô interagiu com Cristiana Arcangeli, empresária serial do segmento de moda, beleza e bem-estar e brincou dizendo que “como não tenho boca, você não pode me ajudar como dentista (sua antiga carreira). O que eu preciso é você como parceira”. Ela disse que gostou da piscadinha no final da conversa.

Luiza Trajano, presidente do Conselho de administração do Magazine Luiza e que virou “tubarão” por um dia no episódio do programa, perguntou se a empresa seria capaz de desenvolver a Lu, vendedora virtual do Magazine Luiza, com o design e a personalidade da assistente.

Marco Diniz Garcia Gomes, product leader da Tinbot Robótica e desenvolvedor do Tinbot, explicou que “como o Tinbot é voltado para empresas, é extremamente importante que ele seja totalmente customizável, assumindo outro nome se necessário. Inclusive, as empresas não são obrigadas a utilizar a inteligência artificial que vem com o robô. Se o interessado já tem o sistema de inteligência, o da Lu por exemplo, com perguntas e respostas, é possível utilizar o Tinbot como sendo a interface física para dar expressão e personalidade”, explica.

Em julho de 2019, o Maringá Post Mostrou que o robô criado em Maringá uma versão industrial e escalável e passou a ser vendido a partir de R$ 16,5 mil.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.

Tenha acesso liberado ao melhor jornalismo da cidade. Assine o Maringá Post e fique bem informado. Saiba mais aqui.