Hospital Metropolitano de Sarandi sai de déficit de R$ 3 milhões em 2016 para superávit de R$ 770 mil em 2017

Por: - 6 de abril de 2018

O Hospital Metropolitano de Sarandi, a julgar pelo relatório de demonstrações contábeis de 2017 publicado nesta sexta-feira (6/4), está se recuperando financeiramente. Saiu de um déficit de R$ 3.291.671,87, em 2016, para um superávit de R$ 770.276,77 no ano passado.

O Metropolitano é uma instituição filantrópica, que presta atendimento para a população dos 30 municípios da 15ª Regional de Saúde, integrantes da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep). A região tem uma população estimada em 800 mil habitantes.

O hospital é referência para áreas como traumatologia, cirurgia vascular, neurologia, captação de órgãos para doações e atendimentos de urgência e emergência pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Análises contábeis apontam melhora

A receita bruta cresceu 17,87% em um ano, atingindo R$ 68,85 milhões. Os repasses do SUS cresceram R$ 4,896 milhões e os convênios particulares e institucionais arrecadaram R$ 8,41 milhões, tendo um aumento de mais de 50% em relação a 2016.

Apesar dos custos com pessoal para prestação de serviços médicos terem aumentado R$ 1,85 milhão, a despesa administrativa com pessoal registrou uma economia de R$ 275 mil. O aumento com material para serviços e medicamentos foi de apenas 2,8%.

Em nota explicativa sobre as demonstrações contábeis assinada pelo presidente Wellerson Poiatti e pelo contador Marcos Rocha de Oliveira, é destacada uma “significativa evolução da situação financeira em relação ao ano anterior”.

A melhora seria em razão de providências tomadas pela administração e que promoveram superávit com sobra de caixa, capital de giro positivo e reestruturação da dívida. “A continuidade dessas medidas promoverá a recuperação da situação financeira da entidade”, diz a nota.

Repasse de R$ 5,2 milhões da Saúde

O ex-ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), anunciou em visita oficial a Sarandi, em 12 de agosto do ano passado, um repasse de R$ 5,2 milhões para o município custear os serviços do Hospital Metropolitano.

Deste valor, R$ 200 mil seriam para custeio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e outros R$ 5 milhões para os serviços de urgência e emergência, que funcionavam sem contrapartida do Governo Federal.

O deputado federal Enio Verri (PT) também fez uma destinação de R$ 400 mil ao hospital em outubro de 2017, por meio de emenda parlamentar. O recurso é destinado para a compra de equipamentos para uma nova sala de cirurgia.



Denúncia de suposto assédio em ônibus de Maringá na rede social tem reação enérgica do prefeito. Caso não teve B.O.

A denúncia de suposto assédio em ônibus do transporte coletivo em Maringá feita por meio do Twitter na terça-feira (12/2) chegou até o prefeito...

Socióloga de Maringá é escolhida como embaixadora do Paraná em projeto nacional de Protagonismo Feminino

Trabalho visa a construir um futuro para o Brasil a partir da igualdade de gênero e da liberdade do feminino.

Após decisão do STF, seis cartórios judiciais de Maringá vão ser estatizados. Saiba quais são

Cabe ao Tribunal de Justiça do Paraná realizar concurso público para estatizar cartórios judiciais privados.

Promotor abre inquérito sobre a lei da “sopa de letrinhas” e cobra explicações da Prefeitura de Maringá

Lei trouxe um impacto anual de aproximadamente R$ 700 mil ao ano ao erário municipal. 

Criado em Maringá, aiqfome é o app de delivery mais bem avaliado do Brasil, à frente do iFood

Na Apple Store, a nota dos usuários do aiqfome é 4.9 e na Google Play, 4.8.

Denúncia de suposto assédio em ônibus de Maringá na rede social tem reação enérgica do prefeito. Caso não teve B.O.

A denúncia de suposto assédio em ônibus do transporte coletivo em Maringá feita por meio do Twitter na terça-feira (12/2) chegou até o prefeito...

Socióloga de Maringá é escolhida como embaixadora do Paraná em projeto nacional de Protagonismo Feminino

Trabalho visa a construir um futuro para o Brasil a partir da igualdade de gênero e da liberdade do feminino.

Após decisão do STF, seis cartórios judiciais de Maringá vão ser estatizados. Saiba quais são

Cabe ao Tribunal de Justiça do Paraná realizar concurso público para estatizar cartórios judiciais privados.

Promotor abre inquérito sobre a lei da “sopa de letrinhas” e cobra explicações da Prefeitura de Maringá

Lei trouxe um impacto anual de aproximadamente R$ 700 mil ao ano ao erário municipal. 

Empregos em Maringá

Últimas vagas de Empregos

GUIAS