O Maringá – 21 de fevereiro de 2021

Sem vacina

Assim como registrado em outras cidades como Rio de Janeiro e Curitiba, o estoque de vacinas contra a Covid-19 acabou na quinta-feira (18) em Maringá. Até quinta, a cidade vacinou 15.366 pessoas. A aplicação da segunda dose deve continuar.

A Prefeitura de Maringá espera receber aproximadamente 8 mil doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, até o final do mês.

Até o momento, a cidade conseguiu vacinar profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus, profissionais de saúde ativos com mais de 46 anos, idosos e profissionais de longa permanência e idosos acima de 86 anos.

Alerta vermelho

Com o estoque de vacinas no fim, o cenário da pandemia da Covid-19 em Maringá voltou a preocupar nesta semana com o aumento na ocupação dos leitos de UTI na rede privada. Para conter o avanço da doença, a prefeitura publicou um novo decreto com medidas restritivas e prorrogou o retorno das aulas no modelo híbrido na rede municipal para 1º de março. A fiscalização em estabelecimentos também foi intensificada.

A prefeitura lançou, nas redes sociais, a campanha #PatrulhaPelaVida. O objetivo é conscientizar a população sobre as medidas de higiene e distanciamento social. Quase um ano após o início da pandemia no Brasil, a sensação é que atitudes simples como o uso da máscara têm sido deixadas de lado.

2021 começa com mais brasileiros endividados

O ano começou com mais brasileiros endividados. O percentual de brasileiros com dívidas atingiu 66,5% em janeiro, o que representa aumento de 0,2% em relação ao mês anterior e de 1,2% na comparação com janeiro de 2020. O dado é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O levantamento considera dívidas como cartão de crédito, cheque especial, empréstimo pessoal, prestações de casa e carro, carnês, crédito consignado. É o segundo aumento seguido do indicador. Em dezembro passado, a CNC havia apurado o primeiro aumento desde agosto.

Decisão favorável para a prefeitura

Na semana passada, a coluna trouxe a informação de que uma liminar expedida pela 1ª Vara da Fazenda Pública de Maringá suspendeu a reforma administrativa da prefeitura. Na quinta-feira, o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJ-PR) derrubou os efeitos da liminar e manteve a validade da nova estrutura administrativa até que uma nova decisão seja tomada.

A desembargadora Maria Aparecida Blanco de Lima considerou a documentação apresentada pelo município. A prefeitura alegou que as nomeações em 2021 seriam controladas até o limite que não acarreta o aumento do valor nominal de gastos quando comparado com o valor nominal gasto na antiga estrutura administrativa.

A ação popular que pretendia anular a reforma administrativa foi proposta pelo vereador Rafael Roza (Pros). Na ação, ele justificou que o aumento de gastos com a nova estrutura contraria a lei complementar 173/2020, do Governo Federal, que limita o aumento de gastos públicos devido à pandemia causada pelo coronavírus.

Últimas vagas de Empregos