Arquidiocese de Maringá doa acervo da Folha do Norte ao Patrimônio Histórico

Por: - 15 de novembro de 2018

Uma parceria para preservar a história. A Arquidiocese de Maringá doou todo o acervo da jornal Folha do Norte do Paraná para a secretaria Municipal da Cultura. Exemplares do impresso, que funcionou de 1962 a 1979, vão ser guardados agora na Gerência de Patrimônio Histórico.

Os exemplares publicados de 1962 a 1979 estavam na Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória e agora serão digitalizados e preservados.

O jornal foi fundado por Dom Jaime Luiz Coelho, primeiro Arcebispo de Maringá. Em 1979, a Folha do Norte se transformou em O Diário do Norte do Paraná.

O secretário de Cultura de Maringá, Miguel Fernando, disse que trata-se do “impresso mais importante da história de Maringá”.

Em vídeo, o secretário de Cultura agradeceu a doação ao Patrimônio Histórico de Maringá.

O jornalista Antonio Roberto de Paula, autor do livro online “O Jornal do Bispo – A história da Folha do Norte do Paraná” assim descreveu o jornal, considerado de extrema importância para o desenvolvimento de Maringá.

“A Folha do Norte do Paraná foi um dos grandes veículos de divulgação de Maringá na década de 1960. Ao lado da Rádio Cultura e do Grêmio Esportivo Maringá, a Folha contribuiu decisivamente para tornar a cidade líder regional e para mostrar o potencial do Município no Estado e no Brasil.

Com a Folha, Dom Jaime se consolidou como uma liderança religiosa e política, fez Maringá ser respeitada e atendida em importantes reivindicações junto ao governo estadual. A cidade já contava com O Jornal, mas o surgimento da Folha representou mais eficazmente o despertar do espírito maringaense, um espírito pautado na cobrança da população junto ao poder público na busca constante da qualidade de vida.

O mundo político desfilou na Folha intensamente, primeiro com Dom Jaime na direção e depois com Joaquim Dutra. O período que a Folha funcionou, de 1962 a 1979, foi, coincidência ou não, na transição da menina Maringá para a cidade polo, desenvolvida, líder.

A Folha do Norte foi o começo do fim do jornalismo romântico. O mundo mudou, a Folha ficou. Ficou para sempre na história, assim como seus personagens”

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.