Esta sexta-feira (9/2) é dia de Tô Dentro, com as tradicionais marchinhas de Carnaval. Depois tem Banda MR na Vila Olímpica

Por: - 9 de fevereiro de 2018
Pré-Carnaval levou mais de 20 mil pessoas às ruas no último fim de semana em Maringá (Imagem/Reprodução)

Nesta sexta-feira já tem blocos nas avenidas de Maringá. A programação de Carnaval organizada pela Secretaria de Cultura, que teve início no último fim de semana, continua nesta sexta-feira (9/2) com os desfiles de dois blocos, o Tô Dentro e a Confraria do Samba, e show na Vila Olímpica com a Banda MR. Até sábado (17/2), sete blocos estão cadastrados para sair por aí.

A concentração do bloco Tô Dentro começa às 19h na Travessa Jorge Amado. Depois seguirá pelas avenidas João Paulino e Duque de Caxias até a Vila Olímpica, onde permanecerá em folia por mais uma hora. Depois da dispersão do bloco, ao bastão ficará por conta da Banda MR, em um palco fixo na Vila Olímpica. O bloco Confraria do Samba acompanhará o bloco Tô Dentro.

O diretor de eventos da Secretaria de Cultura, Luiz Fernando Neves, explicou que nos próximos dias de programação, os trajetos dos trios elétricos comandados pelos blocos de rua levarão os foliões até o palco fixo da Vila Olímpica, que contará com Banda MR ao vivo. Segundo Neves, são esperadas até oito mil pessoas em cada dia de folia.

A organização reforçou a segurança e aumentou o número de banheiros químicos e ambulâncias para garantir a segurança e o bem-estar do folião, depois do público inesperado de 20 mil pessoas no pré-Carnaval” no último sábado.

Acrescentou que já está valendo o reforço na segurança privada. “Tivemos também duas reuniões com o 4º Batalhão da Polícia Militar e com a Guarda Municipal, que vão intensificar as estratégias e o efetivo”, disse Neves.

Carnaval não fechará vias da cidade

Os percursos dos blocos foram definidos previamente com a secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) para que não atrapalhem o funcionamento do trânsito na cidade. De acordo com o diretor “não haverá interdição de vias, os carros acompanharão os blocos, junto com os os fiscais da Semob”.

Durante os dias de folia, a Patrulha do Som também vai intensificar as ações, para garantir que não haja som automotivo após o término da programação. Os fiscais das secretarias de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal, de Segurança Pública e de Mobilidade Urbana, a Guarda Municipal e a Polícia Militar estarão de plantão a partir das 23 horas nos dias 9, 10, 11, 12 e 17.

Tô Dentro surgiu como brincadeira entre amigos

O Bloco Tô Dentro surgiu de uma união entre amigos e velhos conhecidos. O bloco pretende animar os foliões com muita marchinha, música popular brasileira e pop-rock. Tudo isso com banda ao vivo em cima do trio elétrico. Apesar de só estar estreando este ano, a ideia de reunir os amigos e sair pelas ruas no Carnaval, surgiu em 2017.

No ano passado, um dos organizadores do bloco, o músico maringaense Ronaldo Gravino, ganhou o concurso de marchinhas promovido pela secretaria de Cultura e animou os amigos. “O pessoal subiu no palco e acabou gostando. Todos já se conheciam e surgiu a ideia de fazer um bloco. Eu fui alimentando para ver até que ponto ia. A coisa ficou tão grande que só espero que hoje dê tudo certo”, conta Gravino.

A decisão de desfilar nas ruas de Maringá, só foi fechada mesmo 20 dias atrás. Mas deu tempo para ensaiar? O fato é que a banda do bloco se reúne há mais de trinta anos e, segundo Gravino, já nem precisam mais de ensaios: “Ensaiar para quê? A gente já toca junto o ano todo”, diz ele.

Bloco aposta no resgate ao Carnaval tradicional

Estandarte do Bloco Tô Dentro que desfilará nesta sexta-feira (Imagem/Reprodução)

O Tô Dentro conta com estandarte, 100 camisetas distribuídas entre amigos e familiares e até uma marchinha própria, que leva o nome do bloco. Para Gravino, que é o responsável pela letra, o bloco é uma opção diferente para quem deseja passar o Carnaval em Maringá.

“Os demais blocos de rua, são do pessoal que só toca axé, capoeira, funk ou o pessoal que só se junta para colocar um pendrive. Nós não, a maioria do bloco são amigos que já têm uma banda montada. A grande proposta do nosso Carnaval é o resgate das músicas tradicionais”, afirma.

O bloco tem 14 pessoas na diretoria e conta com foliões de mais de 60 anos em sua formação. O percurso escolhido e as músicas que remetem à época em que o Carnaval era dominado pelas marchinhas, foram pensados para acolher esse tipo de público específico.

“A gente vai sair realmente tocando, dançando e resgatando o Carnaval de rua de Maringá. Cada um tem sua afinidade e o bloco vai para esse lado da MPB e resgate do Carnaval antigo”. Para Gravino, este é o momento de desmistificar a ideia que Maringá não tem Carnaval e demonstrar alegria apesar de todas as dificuldades.

“A gente merece ser feliz nesse país, vamos deixar as mágoas todas de lado nesse Carnaval”, diz Gravino.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.