Carteira do Autista já apoia mais de 3 mil pessoas no Paraná

Paraná já realizou emissão de emissão de 3.434 Carteiras do Autista.
Foto: SEJUF

Desde o dia 31 de março, pessoas autistas no Paraná podem solicitar a inclusão do símbolo de representação da comunidade autista na carteira de identidade (RG).

Desde então, o Governo do Paraná, por meio da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, já emitiu 3.434 Carteiras do Autista. A iniciativa é destacada no Dia Mundial da Conscientização sobre o Autismo, celebrado neste sábado, 2 de abril. Todos os paranaenses com Transtorno do Espectro Autista (TEA) podem solicitar gratuitamente, pela internet, a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea).

O laço colorido representativo para as pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um dos símbolos possíveis de serem inseridos no RG. A inserção facilita a vida desses cidadãos, que costumam precisar comprovar TEA nas atividades cotidianas.

O diferencial do documento é que ele é conectado com o RG de seu portador, integrando os dados com o Instituto de Identificação e possibilitando a assinatura digital do requerente pelo sistema.

A Carteira do Autista contribui para ações interdisciplinares com as demais secretarias de Estado. A Saúde, por exemplo, utiliza as informações para a elaboração de políticas públicas e planejamento de ações específicas voltadas às pessoas com TEA. Além disso, com o documento, esses cidadãos passam a ter prioridade no atendimento em serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social. No caso dos particulares, isso inclui supermercados, bancos, farmácias, bares, restaurantes e lojas em geral.

COMO CONSEGUIR A CARTEIRA DO AUTISTA?

PCPR oferece inclusão de símbolos do autismo e deficiências através da 2ª Via Fácil do RG / Foto: PCPR

O serviço é acessível a todas as pessoas que já tenham o documento no Paraná e está disponível na 2ª Via Fácil através do site www.policiacivil.pr.gov.br, na aba “documentos”. Símbolos de deficiência auditiva, visual, física e intelectual também poderão ser inseridos nesse serviço.

Pessoas com autismo precisam anexar a comprovação do transtorno no momento de pedir a 2ª Via Fácil. Antes de iniciar o processo pelo site, é importante que o cidadão tenha todas as imagens no celular ou computador para poder anexá-las quando o sistema pedir.

A imagem de cada um dos documentos a serem anexados deverá estar em formato .jpeg e com tamanho máximo de cinco megabytes. Para facilitar, o usuário poderá fazer uma fotografia do documento, sem precisar digitalizá-lo em um aparelho scanner. Ao final da solicitação o usuário receberá SMS no celular cadastrado para confirmar o pedido da solicitação.

SOBRE O TRANSTORNO

Os transtornos do espectro autista (TEAs) aparecem na infância e tendem a persistir na adolescência e na idade adulta. Na maioria dos casos, eles se manifestam nos primeiros cinco anos de vida. As pessoas afetadas pelos TEAs frequentemente têm condições comórbidas, como epilepsia, depressão, ansiedade e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. O nível intelectual varia muito de um caso para outro – de deterioração profunda a casos com altas habilidades cognitivas.

Embora algumas pessoas com TEAs possam viver de forma independente, existem outras com deficiências severas que precisam de atenção e apoio constante ao longo da vida. As intervenções psicossociais baseadas em evidência, tais como terapia comportamental e programas de treinamento para pais, podem reduzir as dificuldades de comunicação e de comportamento social e ter um impacto positivo no bem-estar e na qualidade de vida de pessoas com TEAs e seus cuidadores.

Dados divulgados pela Agência Estadual de Notícias do Paraná.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.