Prefeitura de Maringá justifica importância de empréstimo de R$ 200 milhões

prefeitura de Maringá
Compartilhar

Autorização para a aprovação de crédito será votada pela Câmara Municipal nesta quinta-feira (14). Na quarta (13), prefeito Ulisses Maia (PSD) usou as redes sociais para listar quais projetos poderão ter andamento após o empréstimo. 

Por Victor Ramalho

A Câmara de Maringá votará nesta quinta-feira (14), na última sessão ordinária do ano, uma autorização da Prefeitura de Maringá para contrair um empréstimo de R$ 200 milhões com a Caixa Econômica Federal. O assunto é o item 7º da pauta do legislativo, cuja sessão inicia às 9h30.

No início da noite dessa quarta-feira (13), a Prefeitura utilizou as redes sociais para justificar a importância da aprovação do empréstimo. Por meio de um release divulgado em seu site oficial e também disponibilizado à imprensa, o município listou as obras que poderão ter andamento com a operação de crédito.

De acordo com o material, o empréstimo garantirá a continuidade de 21 obras ao longo de 2024, sendo elas:

 Construção do Restaurante Popular do Jardim Alvorada

 Ampliação e/ou reforma no prédio do Hospital Municipal

 Reforma da UPA Zona Norte

 Recuperação total de área danificada da Policlínica Zona Sul

 Revitalização do deck do Parque do Japão

 Revitalização do Parque Alfredo Nyffeler

 Construção do Centro de Eventos Oscar Niemeyer

 Reforma e ampliação do Centro Esportivo Edith Dias de Carvalho (Borga Gato)

 Reforma e ampliação do Centro Esportivo Dr. Altino Borba (Mandacaru)

 Reforma e ampliação do Centro Esportivo Dr. Luiz Moreira de Carvalho (Vila Operária)

 Implantação do Centro de Desenvolvimento de Vôlei de Praia

 Recapeamento asfáltico e manutenção de galerias pluviais

 Implantação da fase 2 do Eixo Monumental

 Obra de drenagem na Rua Mandaguari

 Drenagem e pavimentação na Rua Gertrude

 Drenagem e Pavimentação na Rua Íris

 Drenagem e pavimentação na Av. João Pereira (da Rua Henrique Bim até a Av. Colombo)

 Drenagem e pavimentação do Parque de TI

 Pavimentação asfáltica e adequação de redes pluviais na Rua Fernão Dias e Azulão

 Construção do Condomínio da Pessoa com Deficiência (PCD)

Também de acordo com o material institucional, a carta de crédito ficará à disposição do município e o recurso poderá ser usado apenas para investimentos e a medida que as obras forem executadas.

O prefeito Ulisses Maia (PSD) também saiu em defesa do empréstimo. Em suas redes sociais, além de listar as obras que poderão ser contempladas, o chefe do Executivo também explicou sobre os juros do financiamento, reforçando que eles só começarão a ser pagos assim que os recursos começarem a ser utilizados.

Maia também garantiu que, até o fim de sua gestão, apenas uma pequena parte do dinheiro será utilizada. “É uma linha de crédito e o município vai utilizar a medida que as obras forem executadas. É importante lembrar também que, até o fim do nosso mandato, apenas uma pequena parte desses recursos serão usados, ou seja, eles ficarão garantidos para que o município possa concluir todas essas obras”, disse o prefeito, em um vídeo no Instagram.

O empréstimo está sendo tomado a apenas 1 ano do fim da atual administração e, por obrigatoriedade do financiamento, precisa ser investido em obras de infraestrutura, que deverão ajudar a dar visibilidade à gestão junto ao eleitorado. Caso aprovado, a dívida do município, somada a consolidada e a flutuante, poderá chegar a R$ 1 bilhão.

Foto: Arquivo/PMM/Ilustrativa


Compartilhar